Tamanho do texto

Segundo o Banco Central, é o pior desempenho desde dezembro de 2013

dólar
O dólar cravou em novembro a terceira alta mensal consecutiva
dólar

O fluxo cambial, entrada e saída de moeda estrangeira do país, fechou novembro com saldo negativo de US$ 3,507 bilhões, pior desempenho desde dezembro de 2013, informou o Banco Central nesta quarta-feira, puxado pelos déficits tanto da conta comercial quanto da conta financeira.

No período, a conta comercial apresentou saldo negativo de US$ 1,358 bilhão. Já a conta financeira --por onde passam os investimentos estrangeiros diretos, em portfólio, entre outros-- teve déficit de US$ 2,149 bilhões.

Leia mais: BNDES: investimento na economia alcançará R$ 4,1 trilhões em 4 anos

O resultado vem após o superávit de US$ 6,927 bilhões em outubro, melhor em mais de um ano e representa o maior saldo negativo desde dezembro de 2013, quando houve déficit de US$ 8,78 bilhões.

Apenas na semana passada, o fluxo cambial ficou negativo em US$ 569 milhões, influenciado sobretudo pelo desempenho da conta financeira, que perdeu US$ 406 milhões.

O dólar cravou em novembro a terceira alta mensal consecutiva, em um mês marcado pela volatilidade, acumulando ganhos de quase 15% nesse período. Só no mês passado, a valorização foi de 3,75%.

A divisa abriu o mês em firme trajetória de alta, no embalo do mau humor dos investidores com a reeleição da presidente Dilma Rousseff, mas reduziu os ganhos na segunda metade do mês devido a expectativas de uma equipe econômica mais favorável aos mercados.

A atenção dos investidores está voltada agora para o futuro do programa de intervenção cambial do Banco Central e para quais ações concretas serão adotadas pela equipe econômica para enfrentar o quadro de inflação alta e crescimento baixo.

Nesta sessão, o dólar recuava ante o real, com investidores se antecipando à possível aceleração do aperto monetário conduzido pelo Banco Central após o fechamento dos negócios, o que pode atrair mais recursos externos para o mercado doméstico.