Tamanho do texto

Além disso, setores sensíveis ao panorama eleitoral também mostraram recuperação nesta segunda-feira

A Bovespa abriu a semana em alta, ajudada pela recuperação das ações da Petrobras antes da divulgação de novas pesquisas eleitorais, enquanto a trégua no declínio do preço do minério de ferro favoreceu os papéis de Vale, em sessão marcada pelo vencimento dos contratos de opções sobre ações.

Leia mais:  “Concurso público é uma máquina de injustiça social”

Além da estatal Petrobras, setores sensíveis ao panorama eleitoral também mostraram recuperação nesta segunda-feira, como o segmento financeiro e imobiliário, enquanto a depreciação do real frente ao dólar na última semana colocou empresas suscetíveis ao câmbio sob os holofotes.

Bovespa
REUTERS/Nacho Doce
Bovespa

O Ibovespa fechou na máxima da sessão, com alta de 1,79%, a 57.948 pontos. O volume financeiro da sessão alcançou R$ 9,6 bilhões, inflado pelo exercício de opções, que movimentou R$ 3,237 bilhões.

Para o analista de renda variável da São Paulo Investments Fabio Lemos, o resultado da bolsa nesta sessão refletiu um ajuste frente à forte queda dos últimos dias, que encontrou suporte na recuperação dos preços do minério e na correção nas ações da Petrobras.

Após acumular alta ao redor de 10% na segunda metade de agosto, o Ibovespa perdeu cerca de 7% nas duas primeiras semanas de setembro, tendo recuado 6,2% apenas na semana passada

A Petrobras sustentou-se no azul por boa parte da sessão, com dados sobre produção em agosto, avaliados como positivos, também em foco. Para o Credit Suisse, quando o fundamento voltar a prevalecer, esse números de produção serão importantes.

As preferenciais da Vale avançaram 1,70%, encontrando suporte na maior alta diária dos preços à vista do minério de ferro desde março, após a cotação ter alcançado o menor valor desde setembro de 2009 na semana passada.

A equipe do BTG Pactual ponderou em nota a clientes, contudo, ser difícil afirmar que a recuperação nos preços do minério é sustentável, "especialmente com mercado super ofertado e com fechamentos de capacidade mais lentos que o esperado".

A valorização recente do dólar frente ao real, com a moeda acumulando ganho superior a 4 por cento na última semana, também respingou na Bovespa nesta sessão, beneficiando papéis como Braskem, enquanto minou o desempenho de Gol.

O Credit Suisse definiu Braskem, Iochpe-Maxion, Usiminas, BRF, Minerva, Smiles e Valid com recomendação "outperform" em estratégia de ações de companhias brasileiras beneficiadas pela depreciação cambial.

A ação da Fibria, que tende a se beneficiar do real fraco, também repercutiu a notícia de que a empresa aumentou o preço da celulose blaqueada de eucalípto e fechou em alta de 0,77%.

Gerdau também apareceu no noticiário, com anúncio de acordo com a ArcelorMittal para vender suas participações na siderúrgica de aços planos laminados Gallatin Steel Company, nos Estados Unidos, para a Nucor Corporation por US$ 770 milhões.

As ações da Ambev exerceram uma das maiores influência positivas no Ibovespa. A sua controladora, a Anheuser-Busch InBev, está conversando com bancos sobre financiamento para uma possível oferta de aquisição da SABMiller por US$ 122 bilhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.