Tamanho do texto

Três britânicas encontraram mensagens com denúncias de supostos trabalhadores em roupas da rede Primark

Rebecca Gallagher mostra no Twitter etiqueta com denúncia de trabalho escravo
Twitter/Reprodução
Rebecca Gallagher mostra no Twitter etiqueta com denúncia de trabalho escravo

Três consumidoras britânicas encontraram pedidos de socorro pela suposta exploração de trabalho escravo em etiquetas de roupas da marca Primark, em Swansea, País de Gales.

Leia mais:  Aplicativo mostra grifes envolvidas em trabalho escravo

De acordo com o site Daily News , duas das mulheres encontraram as mensagens em roupas em promoção (por US$ 17) na mesma loja da cidade da província britânica.

Outra consumidora em Belfast, na Irlanda do Norte, diz ser encontrado uma anotação de um suposto prisioneiro chinês denunciando trabalho forçado de 15 horas por dia para a produção de roupas.

Acredita-se que as mensagens tenham sido escritas por trabalhadores de fábricas em vários países. Todos os recados fazem referência a "horas exaustivas" de trabalho forçado.

"Fiquei chocada quando vi a mensagem na etiqueta", relatou ao site Wales online a consumidora Rebecca Jones, de 21 anos. "Eu costumava fazer compras na Primark, mas não farei mais. O aviso me fez refletir como minhas roupas são feitas".

A rede de lojas de departamento, conhecida por vender roupas a preços acessíveis, informou que iniciará investigações para descobrir a origem das mensagens.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.