Tamanho do texto

Negócio é o último obstáculo em uma anunciada união

Reuters

O governo francês está empenhado em negociações neste domingo (22) sobre sua planejada compra de uma participação na Alstom do conglomerado Bouygues, o último obstáculo em uma anunciada união entre a Alstom e a General Electric.

Fábrica da GE
Divulgação
Fábrica da GE

As conversas entre autoridades do governo e do grupo Bouygues sobre o preço pela fatia de 20% estão "no caminho certo" para conclusão no final do dia, disseram duas fontes.

Mais:  Siemens está pronta para retomar conversas com Alstom se acordo com GE falhar

O governo socialista da França fez da compra de participação uma pré-condição para a aprovação da oferta da GE para o negócio de energia da Alstom, que expira formalmente na segunda-feira.

O governo quer garantir sua influência em uma complicada junção que irá, por exemplo, ter negócios de redes de energia e de energia renovável da Alstom alocadas em joint ventures controladas pela GE na França.

A empresa de construção e telecomunicações Bouygues, no entanto, tem recusado as propostas oficiais para que ela venda sua participação ao preço de mercado, no montante de € 28 por ação no fechamento do pregão de sexta-feira.

"As negociações são intensas, mas presentes para Martin Bouygues estão fora de questão", disse o ministro da Economia Arnaud Montebourg ao diário Le Parisien em uma entrevista publicada neste domingo, referindo-se ao presidente e CEO do grupo.

O acordo GE-Alstom "terá custo zero para o contribuinte francês", acrescentou. Bouygues e Alstom não quiseram comentar sobre as negociações em curso.

A Alstom no sábado anunciou apoio unânime do Conselho para o acordo com a GE, que avalia os negócios de energia da empresa em € 12,35 bilhões (US$ 16,77 bilhões).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.