Tamanho do texto

Irregularidades variam de deturpação de ativos a desenvolvimento ilegal de propriedades

Reuters

O Escritório Nacional de Auditoria da China encontrou irregularidades em 11 conglomerados estatais, variando de deturpação de ativos a desenvolvimento ilegal de propriedades, destacando os desafios que o governo enfrenta para reformar o setor público.

Auditoria chinesa encontra investimentos ilegais em 11 empresas estatais
Thinkstock/Getty Images
Auditoria chinesa encontra investimentos ilegais em 11 empresas estatais

A China National Petroleum Corp (CNPC), controladora da PetroChina, a China Resources (Holdings), controladora de 10 empresas listadas em Xangai e Hong Kong, e a empresa de defesa China South Industries Goup, estão entre as empresas cujos relatórios de auditoria de 2012 foram divulgados nesta sexta-feira.

A China tem se movimentado para reformar o setor estatal, seguindo decisão do ano passado de diversificar o controle para dar igual status político e legal a empresas estatais e privadas.

A auditoria apontou que a China Metallurgical Group Corp - uma das maiores empresas de engenharia do país - não tinha estudos de viabilidade offshore e não conseguiu obter a aprovação do governo para três investimentos, juntamente com empresas paquistanesas, australianas e norte-americanas, o que levou a perdas acumuladas de mais de 3 bilhões de iuanes (US$ 483,17 milhões).

Na China South, a má gestão de investimentos estrangeiros em 17 empresas internacionais resultou em perdas acumuladas em sete empresas de US$ 138 milhões, disse a auditoria.

- China cumprirá meta de crescimento de 7,5% neste ano, diz premiê

Na CNPC, um empréstimo da subsidiária Bank of Kunlun de 570 milhões de iuanes para uma empresa em Xinjiang sem as diligências necessárias ou um gerenciamento pós-empréstimo estava em risco de perda total em julho de 2013.

Cerca de 190 funcionários em 11 conglomerados "foram tratados com severidade", disse o escritório de auditoria, em um comunicado separado em seu site.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.