Tamanho do texto

Alta, entretanto, não muda a visão de que mercado de trabalho norte-americano está crescendo

Reuters

Barack Obama, presidente dos Estados Unidos
Jason Reed/Reuters/Newscom
Barack Obama, presidente dos Estados Unidos

O número de norte-americanos que entraram com pedido de auxílio-desemprego cresceu inesperadamente na semana passada, mas não o bastante para mudar a visão de que o mercado de trabalho dos Estados Unidos está se fortalecendo.

LEIA TAMBÉM: Federal Reserve não pode resolver o problema do emprego nos EUA

Os pedidos iniciais subiram em 4 mil na semana encerrada em 7 de junho, para 317 mil, conforme dados ajustados sazonalmente, informou nesta quinta-feira (12) o Departamento do Trabalho.

Os números da semana anterior foram revisados para mostrar mil pedidos a mais do que o divulgado anteriormente. Economistas consultados pela Reuters previam queda nos pedidos de auxílio-desemprego para 310 mil na semana passada.

A média móvel de quatro semanas, considerada uma medida melhor das condições do mercado de trabalho já que atenua a volatilidade semanal, aumentou em 4.750, para 315.250.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.