Tamanho do texto

Queda inesperada sinalizou demanda doméstica mais fraca

Reuters

Exportações avançaram 7% em maio no país
Thinkstock/Getty Images
Exportações avançaram 7% em maio no país

As exportações chinesas ganharam força em maio graças à maior demanda global, mostraram dados neste domingo, mas uma queda inesperada nas importações sinalizou demanda doméstica mais fraca, o que pode continuar pesando sobre a segunda maior economia do mundo.

Mais: Conheça os cortes de gastos que doem no bolso

As exportações avançaram 7% em maio em relação ao mesmo mês do ano anterior, acelerando após uma alta de 0,9% em abril, enquanto as importações caíram 1,6%, contra alta de 0,8% em abril, mostraram dados da Administração da Alfândega.

O superávit comercial da China aumentou para US$ 35,9 bilhões em maio em relação aos US$ 18,5 bilhões de abril, afirmou a alfândega.

O resultado se compara a expectativas de aumento de 6,6% nas exportações, segundo pesquisa da Reuters, ganho de 6,1% nas importações e superávit comercial mensal de US$ 22,6 bilhões.

"Não achamos que os dados comerciais de maio mudarão a orientação da política significativamente", disse Luis Kujis, economista da RBS em Hong Kong, em nota.

"Embora os dados de exportações sejam positivos, a fraqueza na demanda doméstica mostrada pelos dados de importações pode manter a pressão por iniciativas para amparar o crescimento", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.