Tamanho do texto

José Carlos Medaglia, vice-presidente da área de Governo da Caixa, participa hoje do Fórum Brasil-Infraestrutura, promovido pelo Brasil Econômico

Brasil Econômico

Com todas as concessões de ferrovias ainda por vir, além das já previstas nas áreas de rodovias, portos e aeroportos, as fontes externas de financiamento são bem-vindas. A opinião é do vice-presidente da área de Governo da Caixa, José Carlos Medaglia, que participará nesta quarta-feira (4) do Fórum Brasil-Infraestrutura, promovido pelo Brasil Econômico. Na avaliação de Medaglia, o Programa de Investimentos em Logística (PIL) das Ferrovias deverá ser iniciado ainda este ano.

O Fórum Brasil-Infraestutura acontece no Centro de Eventos Brasil-21 (SHS Quadra 06, lote 01, conjunto A, Setor Hoteleiro Sul). O evento começa às 9 horas.

Em 2013, a Caixa investiu em infraestrutura R$ 17,8 bilhões
Portal da Copa
Em 2013, a Caixa investiu em infraestrutura R$ 17,8 bilhões


Brasil Econômico: Quantos projetos em infraestrutura a Caixa avalia atualmente? É crescente a demanda no Brasil pelo financiamento à infraestrutura?

José Carlos Medaglia: Atualmente, a Caixa tem uma carteira de 3.174 projetos em infraestrutura, que totalizam R$ 98,4 bilhões. Além disso, existem 500 projetos em estudo, para financiamento, que somam mais R$ 49,7 bilhões. As contratações em 2013, de R$ 28,8 bilhões, representam um acréscimo de 39,4% em relação ao contratado em 2012, quando somaram R$ 20,7 bilhões. O total contratado neste ano, de janeiro a maio, foi de R$ 10,9 bilhões, o que representa 38% das contratações realizadas em todo o ano de 2013. Essa evolução demonstra a tendência de continuidade no crescimento da demanda por financiamento em infraestrutura, compatível com a prioridade desses investimentos.

Qual é a meta de contratação de financiamentos em infraestrutura da Caixa em 2014? E, para 2015, já há uma previsão nas contratações?

A meta da Caixa, para contratações de financiamento em infraestrutura, em 2014, é de R$ 32 bilhões, o que significa um aumento de 11,1% em relação ao contratado em 2013 (R$ 28,8 bilhões). Para 2015, há uma previsão inicial de R$ 36 bilhões.

Qual é a participação da Caixa no total financiado em infraestrutura no País?

Em 2013, foram investidos em infraestrutura no Brasil R$ 118,6 bilhões, segundo a Inter. B Consultoria Internacional de Negócios. Na Caixa, no mesmo ano, foram investidos R$ 17,8 bilhões em financiamentos, o que representa 15% do total investido no País.

E dentro da carteira de crédito da Caixa, qual o peso dos financiamentos em infraestrutura? O quanto essa carteira deve crescer nos próximos anos?

A carteira de financiamento em infraestrutura representa, hoje, 7,6% da carteira de crédito da Caixa. A previsão é que essa carteira cresça em média 20% ao ano nos próximos anos.

Por que há sempre uma diferença entre o número de solicitações de financiamento e os efetivamente aprovados?

As aprovações das contratações de financiamentos em infraestrutura ocorrem em obediência a parâmetros econômico-financeiros, jurídico-legais, ambientais e de engenharia, que demonstrem a viabilidade dos projetos, incluída a adequada classificação em termos de risco de crédito. As solicitações protocoladas sem elementos técnicos e econômicos consistentes acarretam atrasos nas análises e represamento das aprovações.

Que desafios o sr. vislumbra para os financiamentos em infraestrutura no País?

O principal desafio para a superação dos déficits de infraestrutura no Brasil é a disponibilidade de bons projetos e uma maior capacidade de gerenciamento. Também será preciso aportar recursos de financiamento em volume e condições adequadas. É evidente que o mercado de capitais tem um grande papel a desempenhar nesse contexto, posto que as fontes convencionais possuem limites.

Há crédito suficiente internamente para prover liquidez ao setor privado brasileiro nas concessões em infraestrutura que estão por vir? Ou o País depende do investimento estrangeiro para que os projetos tenham êxito?

Para o montante de investimentos necessários, as fontes externas, obviamente, serão bem-vindas.

O Programa de Investimentos em Logística das ferrovias, em especial, ainda não avançou como o setor privado esperava. Há alguma dificuldade específica de financiamento para este segmento?

O PIL das Ferrovias deverá ser iniciado ainda este ano. Entendemos que o financiamento dos projetos deverá ter atratividade parecida com o das rodovias.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.