Tamanho do texto

Segundo o BC, o País está bem posicionado nesta nova fase de normalização das condições financeiras globais

O presidente do Banco Central do Brasil, Alexandre Tombini
Valter Campanato/ABr
O presidente do Banco Central do Brasil, Alexandre Tombini

O Brasil tem respondido de forma clássica e robusta aos desafios econômicos que se colocam no novo quadro internacional, avaliou o Banco Central em nota divulgada nesta manhã (25) sobre o corte da nota de risco pela agência de classificação Standard & Poor's.

Em relatório divulgado na tarde da última segunda-feira (24), a agência reclassificou o País de BBB para BBB- em moeda estrangeira de longo prazo com perspectiva neutra, indicando que a classificação não será rebaixada nos próximos meses.

"Independentemente da avaliação da agência de rating Standard & Poors, que reclassificou o risco do País, o Brasil tem respondido e continuará respondendo de forma clássica e robusta aos desafios que se colocam no novo quadro internacional", respondeu o Banco Central.

Veja também: Rebaixamento de nota é inconsistente com a economia brasileira, diz Fazenda

A entidade ainda acrescentou que a "resposta combina austeridade na condução da politica macroeconômica, flexibilidade cambial e utilização dos colchões de proteção acumulados ao longo do tempo (reservas de liquidez) para suavizar os movimentos nos preços dos ativos". Com isso, segundo o Banco Central, o Brasil encontra-se bem posicionado nesta nova fase de normalização das condições financeiras globais e tem plena capacidade de atravessá-la com segurança.

"Com efeito, o País vem recebendo fluxos de capitais nos últimos meses que refletem em grande parte as políticas em curso. A qualidade das políticas em vigor deve manter o País bem preparado para o novo cenário internacional que se desenha", concluiu a instituição.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.