Tamanho do texto

No bimestre, a comercialização somou 4,29 milhões de toneladas, alta de 13,8% ante igual período do ano passado

Reuters

As vendas de fertilizantes no Brasil cresceram 19,5% em fevereiro ante um ano atrás, para 2,1 milhões de toneladas, puxadas pela demanda para o cultivo de algodão e da segunda safra de milho, informou nesta terça-feira (18) a associação que reúne a indústria.

-Leia também:  Vale pode vender projeto de fertilizante se não houver acordo em Sergipe

A necessidade de adubação de cobertura nas lavouras de arroz na região Sul, que puxou a comercialização de adubos nitrogenados, também colaborou para a alta no período, acrescentou a Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda).

O Brasil importa cerca de 70% de seu consumo anual de fertilizantes
Agência Petrobras
O Brasil importa cerca de 70% de seu consumo anual de fertilizantes

No bimestre, a comercialização somou 4,29 milhões de toneladas, alta de 13,8% ante igual período do ano passado.

A demanda fez com que as importações de fertilizantes subissem 36% em fevereiro, para 1,46 milhão de toneladas. Nos dois primeiros meses do ano, as importações cresceram 27%, totalizando 3 milhões de toneladas.

A produção nacional no primeiro bimestre de 2014 caiu 18,6%, para 1,2 milhão de toneladas, em relação aos dois primeiros meses de 2013.

O Brasil importa cerca de 70% de seu consumo anual de fertilizantes.

O Estado do Mato Grosso, maior produtor de milho segunda safra no país, concentrou o maior volume de entregas no período, somando 902 mil toneladas.

O Paraná veio em segundo lugar no ranking, com 580 mil toneladas, e São Paulo foi o terceiro, com 562 mil toneladas adquiridas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.