Tamanho do texto

Desempenho das empresas do setor elétrico ajudou no fechamento do índice

Reuters

O principal índice da Bovespa teve a segunda alta seguida nesta quarta-feira (12), com investidores aproveitando para comprar papéis considerados baratos, mas preocupações sobre China e Ucrânia impediram avanço mais significativo.

O Ibovespa registrou subiu 0,36%, a 45.861 pontos. O giro financeiro do pregão somou R$ 6,2 bilhões.

Maior influência positiva veio da cotação das ações da Petrobras
Agência Petrobras - 6.10.2013
Maior influência positiva veio da cotação das ações da Petrobras

As ações preferenciais da Petrobras exerceram a maior influência positiva sobre o índice, após o Credit Suisse elevar a recomendação para o ADR da empresa para "neutra", de "underperform", afirmando que o preço do papel está "em níveis difíceis de ignorar".

"O Credit Suisse disse que a situação da empresa continua ruim, mas que a ação está barata. Investidores replicaram o conselho relativo à Petrobras para outros papéis", disse o analista-chefe da Corretora Magliano, Henrique Kleine.

No embalo da Petrobras, a ação preferencial da mineradora Vale, que acumulava queda de cerca de 20% no ano até o fechamento de terça, avançou 1,38%.

Ações do setor elétrico também ajudaram a bolsa a subir, com destaque para Energias do Brasil, Eletrobras, e Light.

Leia também: Câmara derrota governo e aprova investigação da Petrobras

A notícia de que a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) deve concluir resolução para regular a devolução dos saldos da Conta de Energia de Reserva (Coner), que pode fazer as distribuidoras receberem recursos e mitigar um pouco a pressão para aporte do Tesouro Nacional na Conta de Desenvolvimento Energético (CDE), aliviou a pressão sobre o setor.

Segundo estimativas da Aneel feitas à "Reuters", as distribuidoras poderiam receber até R$ 2,175 bilhões em 2014.

Porém, a ausência de catalisadores domésticos, num momento em que o investidor segue cético com a economia, assim como persistentes preocupações sobre a China e Ucrânia, impediram ganhos maiores do Ibovespa.

"Continuam vigorando duas preocupações básicas: com a desaceleração da economia chinesa e a aproximação do referendo separatista na Criméia", afirmou o sócio da Órama Investimentos Álvaro Bandeira.


    Leia tudo sobre: BOVESPA
    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.