Tamanho do texto

Crise, concorrência de supermercados e novos hábitos de consumo são algumas das razões que explicam a dificuldade dos empresários, que ganharam apoio governamental

NYT

Um a um, os pubs estão desaparecendo de Hampstead, uma vilinha de ruas de pedra e casas em estilo georgiano que se tornou um dos bairros mais badalados de Londres. O Nags Head virou uma imobiliária; o King of Bohemia, loja de roupas. O Hare & Hounds foi substituído por um prédio de apartamentos.

Governo tenta dar uma sobrevida aos pubs britânicos
Getty Images
Governo tenta dar uma sobrevida aos pubs britânicos

As mudanças na economia e no gosto do público são responsáveis pelo fechamento de um em cada cinco pubs durante os últimos 20 anos no Reino Unido – e a coisa está piorando. Desde a crise financeira de 2008 já foram 7 mil pubs que baixaram suas portas, fazendo com que algumas comunidades menores tenham de enfrentar algo impensável: a vida sem os "locais", como os pubs são chamados.

Isso fez com que o governo entrasse em ação. Uma nova lei agora permite que o público entre com um pedido para que determinado pub seja designado como "patrimônio de valor comunitário", status que fornece um grau de proteção contra as demolições e ajuda as próprias associações de bairro a comprar os estabelecimentos em vez de vê-los serem adquiridos por grandes construtoras ansiosas para reformá-los ou simplesmente destruí-los. Desde que o Ivy House, um "local" muito querido no sul de Londres, se tornou o primeiro a receber essa designação em 2013, outros 300 o imitaram.

"Prefiro encarar o pub como uma instituição relativamente única, muito tradicional", diz Brandon Lewis, integrante conservador do Parlamento que também é do Ministério dos Pubs Comunitários, pasta que trabalha para destacar a importância que o estabelecimento tem na vida britânica. "Em muitas comunidades eles são realmente importantes, não só por serem o entretenimento das pessoas, mas por funcionarem como um ponto de encontro de arrecadação de fundos, do clube de futebol, da aula de dança, do café da manhã das mães e tantos outros eventos."

Pressão contra os pubs

Apesar disso, o pub tradicional está sofrendo uma pressão inédita, mesmo depois de o Ministro das Finanças, George Osborne, ter voltado atrás em março do ano passado e reduzido o imposto sobre a cerveja. A lei antitabaco afastou os fumantes; as promoções que oferecem cerveja barata no supermercado também prejudicam o negócio. Em Londres, a especulação imobiliária transformou os pubs em alvos extremamente atraentes para as construtoras.

The Old White Bear, um pub centenário de Londres, nos seus últimos dias como negócio
Adam Ferguson/The New York Times
The Old White Bear, um pub centenário de Londres, nos seus últimos dias como negócio

Para piorar, houve uma mudança cultural que abalou a ilha da bitter, porter e stout: os britânicos estão bebendo 23% menos cerveja hoje do que há dez anos, pelo menos de acordo com a Associação de Pubs e Cervejas. Por causa disso, os estabelecimentos tentam se recuperar servindo outras bebidas e expandindo as opções do cardápio.

Sob outro aspecto, os problemas enfrentados pelos pubs é consequência da desregularização promovida com fervor pela ex-primeira-ministra Margaret Thatcher. Nos anos de 1980, seu governo conservador acabou com o pseudo-monopólio que as cervejarias tinham sobre os pubs – só que elas foram substituídas pelos interesses de outras companhias, grandes e independentes  que, desde então, já compraram praticamente metade das casas desse tipo no país. Geralmente essas "pubcos" são donas do terreno, determinam o que cada pub pode vender e cobram aluguéis altos. Algumas acumularam propriedades fazendo dívidas e agora estão vendendo a quem pagar mais para tirar vantagem da especulação imobiliária. Uma moção parlamentar proposta em janeiro passado denunciou as margens de lucro de uma delas, a Punch Taverns, classificando-as como "totalmente inaceitáveis".

"As grandes empresas possuem inúmeras propriedades, é inevitável que queiram vender algumas ‒ ou várias ‒ em nome da especulação", lamenta Neil Walker, do grupo de defesa Campaign for Real Ale. Segundo Walker, muitos pubs foram transformados em casas ou supermercados.

Um lar para os famosos

Um campo de batalha típico aqui em Hampstead é o Old White Bear. Localizado em um belo prédio de tijolos vermelhos, ele ocupa o mesmo lugar na Well Road há 300 anos. Dizem que Peter O'Toole, quando jovem, às vezes tinha de sair carregado. Elizabeth Taylor, que nasceu em Hampstead, e Richard Burton, que tinha uma casa ali, também frequentavam, dizem os clientes. Entre os contemporâneos, marcaram presença Boy George e Liam Gallagher.


Entretanto, depois que foi adquirido por uma construtora, por intermédio de uma empresa com sede na Ilha de Man, duas mil pessoas participaram de um abaixo-assinado para salvá-lo. O Bear foi declarado patrimônio de valor comunitário e, desde então, a Prefeitura se recusa a liberar a permissão que o transformará em uma casa de seis quartos. Apesar disso, está fechado desde 2 de fevereiro. Com a empresa disposta a brigar, o futuro do Bear é incerto.

Guy Wingate, cliente de longa data, mostra outros pubs de Hampstead que foram desativados. Há muitos que permanecem abertos, mas o Old White Bear, ele afirma, se tornou o centro de sua comunidade.

"É como se arrancassem seu coração; agora, é começar a vagar pelas ruas feito zumbis ou ficar em casa e nunca mais ver o pessoal", filosofa Wingate tomando café no Cafe Rouge, que já foi o Bird in Hand.

Na última noite de funcionamento do Old White Bear, um freguês entrou carregado no ombro de seis garçons; um bartender ficou imitando o barulho de uma sirene enquanto um husky cochilava no chão. Houve discursos e brindes. Jennie Smith, fumando do lado de fora, confessou que ela e outro cliente assíduo – Bentley, seu labrador – estavam arrasados. O cachorro, aliás, tinha chegado um pouco antes para beliscar o rosbife. Conforme o público foi chegando e se espalhando pelas salas, um freguês se levantou para recitar uma homenagem ao Old White Bear.

"Vamos ser corajosos, vamos ter garra, vamos acreditar no White Bear velho de guerra. Façamos um brinde sabendo que vamos fechar hoje, mas abriremos outro dia."

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.