Tamanho do texto

Segundo dados da consultoria IDC, as vendas mundiais da categoria registraram um declínio de 9,8% no ano passado

As vendas globais de PCs caíram 9,8% em 2013, de acordo com dados divulgados pela IDC. Mesmo abaixo da expectativa inicial — uma retração de 10,1% —, essa foi a maior queda já registrada na categoria, segundo a consultoria.

Vendas globais de PCs caíram 9,8% em 2013
Divulgação
Vendas globais de PCs caíram 9,8% em 2013

A IDC ressaltou que os resultados do quarto trimestre foram ligeiramente melhores do que o esperado, mas acrescentou que as perspectivas para os mercados emergentes pioraram, em um cenário de pressão econômica e de crescente competição com outros dispositivos. Nos mercados maduros, o período de outubro a dezembro também ficou um pouco acima das expectativas, embora a melhora pareça ter sido impulsionada por fatores de curto prazo, como um pequeno aumento nas vendas em virtude da substituição dos computadores baseados no sistema operacional Windows XP, um movimento que não deve se prolongar por muito tempo.

Para 2014, a IDC projeta uma queda de 6,1% nas vendas globais de PCs, o que vai representar um total de 295,9 milhões de unidades. No período, a previsão de retração nos mercados emergentes é de 7,8%, enquanto nos mercados maduros, esse índice é de 3,8%.

Em 2013, o declínio das vendas de PCs nos mercados emergentes foi de 11,3%, acima da queda de 7,6% registrada no mesmo período nos mercados maduros. “Os países emergentes costumavam ser o principal impulsionador do mercado de PCs, à medida que o avanço da penetração da categoria entre a grande quantidade de habitantes nesses locais impulsionou o crescimento global da categoria”, afirmou Loren Loverde, vice-presidente mundial de análise do mercado de PCs da IDC. “No momento, no entanto, estamos vendo essas regiões emergentes mais afetadas pelo fraco ambiente econômico, bem como por mudanças significativas nas prioridades de compra de tecnologia. Nós esperamos uma recuperação desses mercados e uma melhor performance na comparação com os mercados maduros em médio prazo, mas o crescimento deverá se estabilizar perto de 0%, em vez de impulsionar grandes volumes, como vimos no passado”, acrescentou.

Veja também: Varejistas recorrem à tecnologia da informação para integração

“Esse ano continuará a ser desafiador para os fabricantes de PCs na Ásia, pois a projeção econômica cautelosa fará com que os consumidores priorizem as compras de alguns equipamentos. Ao mesmo tempo, as mudanças políticas irão afetar os gastos em alguns dos principais países da região, como Índia, Indonésia e Tailândia, que passarão por eleições nesse ano”, disse Andi Handoko, gerente de pesquisas para dispositivos de consumo da IDC na região Ásia/Pacífico. “A região também está vendo um grande vazio nos gastos do setor público em 2014, depois que grandes projetos de educação na Índia e na Malásia não se concretizaram em 2013”.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.