Tamanho do texto

Pressões regulatórias e de mercado fizeram com que insituições se apressassem em construir proteções

Reuters

Os principais bancos do mundo já aumentaram boa parte do capital que precisam para atender as regras de solvência, cinco anos antes do prazo de 2019 definido por reguladores, disseram supervisores bancários globais nesta quinta-feira (6).

Pressões regulatórias e de mercado fizeram com que os bancos se apressassem em construir suas proteções de capital para dissipar dúvidas sobre suas saúdes, com bancos europeus em particular se colocando à frente para garantir que passem em uma revisão de seus ativos e um teste de estresse neste ano.

Veja também:  Recuperação da indústria da zona do euro perde força em janeiro

O Comitê da Basileia, formado por reguladores de cerca de 30 países, disse que os 102 principais bancos do mundo juntos precisavam aumentar em € 57,5 bilhões seu capital em junho de 2013, metade dos € 115 bilhões de euros necessários no fim de 2012.

As novas regras de capital do comitê mais duras e conhecidas como Basileia III, a resposta global de regulação para a crise financeira de 2007 a 2009, estão sendo adotadas e devem ser cumpridas na íntegra até o início de 2019.

O buraco restante é modesto quando comparado com o total de lucros após impostos dos 102 bancos, que totalizaram € 456 bilhões para o ano até 30 de Junho de 2013.

Leia também: Energia mais barata faz preços ao produtor caírem na zona do euro

O índice de capital médio, o principal ponto de referência para medir a margem de capital de um banco, foi de 9,5% para os principais 102 bancos pesquisados pelo Comitê da Basiléia.

Pela Basileia III, todos os bancos devem ter um nível de 7% até o início de 2019.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.