Tamanho do texto

Importações recuaram 67% no mesmo período, segundo MDIC

Com a crise na Ucrânia, as exportações brasileiras para aquele país tiveram redução de 60% nos dois primeiros meses deste ano em comparação com o mesmo período de 2013. As importações recuaram 67% no mesmo período.

-Leia também: entrave entre Rússia e Ucrânia pode ter impacto econômico global

No mês de fevereiro, as vendas externas somaram US$ 4 bilhões contra US$ 26 bilhões no mesmo mês do ano passado, um recuo de 84%. As informações foram dadas nesta quinta-feira (6) pelo secretário de Comércio Exterior do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC), Daniel Godinho.

Ativistas pró-Rússia retiram bandeira ucraniana para substituí-la por uma da Rússia, na Ucrânia
AP
Ativistas pró-Rússia retiram bandeira ucraniana para substituí-la por uma da Rússia, na Ucrânia

“A Ucrânia representa para o Brasil um mercado pequeno. Do lado das importações, temos adubos e fertilizantes. Do lado das exportações, o principal produto é a carne”, disse Godinho.

Ele falou sobre o assunto em entrevista coletiva na qual comentou os resultados da balança comercial brasileira em fevereiro. No mês, houve saldo negativo de US$ 2,1 bilhões. É o pior resultado para o período em 20 anos. No ano, o déficit acumulado chega a US$ 6,1 bilhões.

-Leia também: c rise na Ucrânia pode afetar preços de alimentos em março, diz FAO

A representatividade da Ucrânia entre os mercados que compram a carne brasileira não é grande. De acordo com dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, em 2013, de US$ 16,8 bilhões exportados pelo Brasil, a Ucrânia adquiriu US$ 266 milhões, o equivalente a 1,58%.

O país europeu compra principalmente carne suína. Na quarta-feira (5), a Associação Brasileira da Indústria Produtora e Exportadora de Carne Suína divulgou nota informando que, desde outubro do ano passado, as vendas para o país vêm caindo. Segundo a associação, não há sinal de reversão do cenário.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.