Tamanho do texto

Rússia assistiu à queda de ações, bônus e de sua moeda com a ameaça de intervenção militar na vizinha Crimeia

Reuters

A Rússia pagou um preço financeiro nesta segunda-feira (3) por sua intervenção militar na vizinha Ucrânia, com ações, bônus e o rublo russo despencando à medida que as forças do presidente Vladimir Putin fortaleciam o domínio sobre a região da Crimeia, que tem maioria étnica russa.

Homem monta guarda enquanto tropas tomam controle de escritórios da Guarda Costeira em Balaklava, em Sevastopol (Crimeia), na Ucrânia
AP
Homem monta guarda enquanto tropas tomam controle de escritórios da Guarda Costeira em Balaklava, em Sevastopol (Crimeia), na Ucrânia

A bolsa de Moscou caiu 11,3%, tirando quase US$ 60 bilhões do valor de empresas russas em um dia, e o banco central do país gastou US$ 10 bilhões de suas reservas para sustentar o rublo enquanto investidores se assustaram com as crescentes tensões com o Ocidente sobre a ex-república soviética.

MAIS:  Ameaça de guerra na Ucrânia faz ações asiáticas recuarem

Os dois lados até agora evitaram o derramamento de sangue, mas o recuo do mercado salientou o dano que a crise pode causar na vulnerável economia russa, tornando mais difícil equilibrar o orçamento e potencialmente minando o apoio de empresas e do público a Putin.

O vice-ministro russo da Economia, Andrei Klepach, disse que a "histeria" do mercado vai acabar, mas que tensões com Bruxelas e Washington, que fez ameaças de suspensão de vistos, congelamento de ativos e sanções comerciais, vão permanecer e afetar a economia.

O banco central russo elevou sua principal taxa de juros de empréstimos em 1,5 ponto percentual depois que o rublo caiu para mínimas históricas ante o dólar. O índice Micex das ações de Moscou fechou em queda de 10,79%, aos 1.288 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.