Tamanho do texto

Investidores europeus reagiram com preocupação à intervenção militar na região da Crimeia

Reuters

Investidores europeus se assustaram nesta segunda-feira (3) com a intervenção militar da Rússia na vizinha Ucrânia, o que arrastou o índice da zona do euro Euro STOXX 50 para sua maior queda diária desde junho.

O índice FTSEurofirst 300, que reúne as principais ações do continente, terminou com queda de 2,2%, a 1.318 pontos, recuo mais forte desde 24 de janeiro, quando preocupações econômicas e políticas provocaram ansiedade em relação a ativos de mercados emergentes.

LEIA TAMBÉM:  Ameaça de guerra na Ucrânia faz ações asiáticas recuarem

Já o Euro STOXX 50 perdeu 3%, para 3.053 pontos, maior queda desde 20 de junho de 2013. Empresas expostas à região, como o austríaco Raiffeisen Bank International, foram as mais afetadas.

Soldados em uniformes sem identificação montam guarda em Balaklava, nos arredores de Sevastopol, na ucraniana Península da Crimeia (1/3)
AP
Soldados em uniformes sem identificação montam guarda em Balaklava, nos arredores de Sevastopol, na ucraniana Península da Crimeia (1/3)

"Investidores haviam subestimado os riscos de uma escalada na Ucrânia, então os eventos no fim de semana são um chamado para o mercado", disse David Thebault, chefe de vendas quantitativas do Global Equities.

Os bancos estavam entre os que mais caíram liderados pelo recuo de 9,6 por cento do Raiffeisen, que tem a maior exposição à Ucrânia entre as blue chips europeias.

Em LONDRES, o índice Financial Times fechou em queda de 1,49%, a 6.708 pontos.

Em FRANKFURT, o índice DAX perdeu 3,44%, para 9.358 pontos.

Em PARIS, o índice CAC-40 recuou 2,66%, para 4.290 pontos.

Em MILÃO, o índice Ftse/Mib teve desvalorização de 3,34%, para 19.759 pontos.

Em MADRI, o índice Ibex-35 retrocedeu 2,33 por cento, para 9.878 pontos.

Em LISBOA, o índice PSI20 encerrou em baixa de 2,57%, para 7.190 pontos.


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.