Tamanho do texto

Prejuízo era esperado, segundo o presidente-executivo Michael O'Leary

Reuters

A Ryanair sofreu o maior prejuízo em cinco anos no terceiro trimestre fiscal, com as tarifas médias recuando 9%, embora a diretoria tenha dito que a competição intensa em preços na Europa esteja enfraquecendo e as reservas futuras estejam subindo.

O presidente-executivo, Michael O'Leary, disse que o prejuízo se deve a menores tarifas médias
Getty Images
O presidente-executivo, Michael O'Leary, disse que o prejuízo se deve a menores tarifas médias

A empresa aérea irlandesa, a maior da Europa em números de passageiros, disse ter sofrido prejuízo de € 35 milhões (US$ 47,2 milhões de dólares) nos três meses encerrados em 31 de dezembro, sua pior performance no tradicionalmente fraco terceiro trimestre desde 2008.

Leia mais: Ryanair contrata chefe de marketing de site britânico para melhorar imagem

O presidente-executivo, Michael O'Leary, disse que o prejuízo, devido a menores tarifas médias, era esperado. Ele reafirmou a estimativa da empresa de ter lucro entre € 500 milhões a € 520 milhões no acumulado do ano.

"A precificação de mercado permanece fraca, mas não está mais caindo", disse.

A Ryanair teve aumento de 6% no número de passageiros transportados nos últimos três meses de 2013, comparado com um ano antes, mas a receita ficou estável devido a uma queda nos preços das passagens.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.

    Notícias Recomendadas