Tamanho do texto

O resultado reforça preocupações de que a economia da China esteja perdendo fôlego e pode pesar sobre os mercados financeiros

Reuters

O crescimento do setor industrial da China recuou para seu menor nível em seis meses em janeiro, afetado pela menor demanda local e externa, em um resultado que eleva temores de uma desaceleração econômica do país asiático.

O PMI deste sábado mostrou que as fábricas da China tiveram menor demanda por exportações
Divulgação
O PMI deste sábado mostrou que as fábricas da China tiveram menor demanda por exportações

O Índice de Gerentes de Compras (PMI, na sigla em inglês) oficial caiu para 50,5 em janeiro ante 51 em dezembro, informou a Agência Nacional de Estatísticas neste sábado, em linha com as expectativas do mercado.

O resultado reforça preocupações de que a economia da China esteja perdendo fôlego e pode pesar sobre os mercados financeiros na segunda-feira (3), uma vez que investidores globais, já nervosos quanto à fuga de capital de mercados emergentes, podem ver nele mais uma razão para vender ativos mais arriscados.

Leia mais: Produção mundial de aço bate recorde em 2013 impulsionada por China

O PMI deste sábado mostrou que as fábricas da China tiveram menor demanda por exportações e crescimento mais lento em novas encomendas no mês passado.

Um sub-índice para novas encomendas caiu para a mínima em seis meses de 50,9, e os pedidos de exportações recuaram para 49,3, também o nível mínimo em seis meses e abaixo da faixa de 50 pontos que separa crescimento de contração nos PMIs.

Analistas haviam alertado antes da divulgação dos dados que o feriado do Ano Novo Lunar, que começou em 31 de janeiro, provavelmente afetou a produção fabril do país no mês passado, conforme fabricantes fecharam as portas para o maior feriado anual do país.

Fatores sazonais à parte, muitos especialistas apontaram que a economia da China está enfrentando dificuldades que só crescerão nos próximos meses, em meio às profundas reformas no país.