Tamanho do texto

Segundo relatório do governo, se conseguir manter o déficit fiscal abaixo de 3% em 2013, dificilmente o país sofrerá rebaixamento nas notas de risco de agências de avaliação

Agência Estado

Se conseguir manter o déficit fiscal abaixo de 3% em 2013, dificilmente o país sofrerá rebaixamento nas notas de risco
Thinkstock/Getty Images
Se conseguir manter o déficit fiscal abaixo de 3% em 2013, dificilmente o país sofrerá rebaixamento nas notas de risco

A China espera que o seu déficit fiscal corresponda a menos de 3% do Produto Interno Bruto (PIB) do país em 2013 para continuar distante de crise de dívida em potencial. A informação fazia parte de um relatório divulgado pelo China Business News, sem identificar fontes.

Nos últimos meses, o crescimento da receita fiscal da China tem diminuído, à medida que as despesas subiram para sustentar o crescimento econômico. Isso resultou em uma pressão adicional sobre o déficit fiscal chinês.

Veja também: Reforma na China pode ser escudo contra calotes

A meta de 3% é superior à estabelecida no início de 2013, de que o déficit fiscal poderia corresponder a 2% do PIB da China.

Ainda assim, o déficit da China ainda está dentro de níveis administráveis, e muitos economistas tem sugerido que o país pode tolerar um déficit orçamental superior, enquanto a China tenta reequilibrar sua economia e acelerar os gastos de bem-estar social.

De acordo com o relatório, se conseguir manter o déficit fiscal abaixo de 3% em 2013, dificilmente o país sofrerá rebaixamento em suas avaliações feitas pelas agências de classificação de risco. De acordo com o jornal, qualquer rebaixamento poderia levar a problemas mais graves de gestão da dívida. O relatório acredita que o governo apenas sinaliza que os governos locais devem apertar o cintos. Fonte: Dow Jones Newswires.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.