Tamanho do texto

Dos 468 itens que compõem o índice, 58% aumentaram de preço e 37% tiveram queda

Agência Estado

No grupo Habitação, os serviços de correio (2,97%) e a conta de água e esgoto (1,23%) foram os vilões
Divulgação
No grupo Habitação, os serviços de correio (2,97%) e a conta de água e esgoto (1,23%) foram os vilões

O Índice do Custo de Vida da Classe Média (ICVM), medido pela Ordem dos Economistas do Brasil, apontou uma alta de 0,21% em junho ante maio e acumula altas de 2,45% nos últimos seis meses e de 5,82% nos 12 meses anteriores.

O acumulado até maio apontava alta de 5,89%, indicando um leve recuo no indicador do período.

-Veja também: custo de vida da classe média paulistana tem alta de 0,27% em maio

O ICVM mostra a inflação para as famílias paulistanas que recebem de dez até 39 salários mínimos e abrange cerca de 20% da população da cidade de São Paulo.

As maiores altas dos grupos foram Despesas Pessoais, com 0,66%, e Habitação, com 0,37% em junho. Já o grupo Transportes, com recuo de 0,44% ante maio, foi o principal responsável por segurar a alta no indicador.

No grupo Despesas Pessoais a maior alta, de 9,22%, foi item viagem de excursão, cujos preços estão indexados ao dólar. No grupo Habitação, os serviços de correio (2,97%) e a conta de água e esgoto (1,23%) foram os principais vilões setoriais. Já o etanol, com queda de 8% em junho, e a manutenção de veículos, com recuo de 3,29%, foram as maiores baixas do grupo Transportes.

Dos 468 itens que compõem o ICVM, 272, ou 58%, aumentaram em junho, 25, ou 5%, permaneceram estáveis e 171 produtos ou serviços, ou 37%, tiveram queda de preços ante maio.