Tamanho do texto

Segundo levantamento mensal do IBGE, 1,5 milhões de pessoas estavam desocupadas em junho deste ano; rendimento médio subiu em três regiões nacionais

Homem sanduíche anuncia empregos no centro de São Paulo
Yan Boechat
Homem sanduíche anuncia empregos no centro de São Paulo

A proporção de pessoas desocupadas na economia nacional segue estável pelo terceiro mês consecutivo. Esse é um dos resultados da Pesquisa Mensal de Emprego (PME), divulgada nesta manhã (24) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Segundo a pesquisa, a Taxa de Desocupação registrada em junho é de 6% - número 0,1 ponto porcentual superior ao registrado em junho do ano passado.

O rendimento médio real dos empregados também não apresentou oscilação significativa - neste ano, o valor médio recebido pelos ocupados foi de R$ 1 869,20, enquanto em 2012 o montante era de R$ 1 854,13. 

Veja mais: País tem o pior 1º semestre para geração de empregos desde 2009

Em Porto Alegre, a remuneração real média subiu 6,3%, marcando a maior alta entre as regiões pesquisadas. Na região, o setor que mais contrata é o Comércio, que detém 18,5% dos contratados.

O setor de Serviços tem ampliado sua presença em Porto Alegre, empregando 1,5 ponto porcentual a mais que no ano passado - em junho de 2013, 14,9% dos empregados estavam no setor; em 2012 a participação era de 13,5%.

Ocupação sobe 4,4 pontos porcentuais em Salvador

No total nacional, o nível de ocupação também ficou estável em relação ao ano passado - 53,7% da população em idade ativa está trabalhando. Em Salvador, no entanto, o resultado foi 4,4 pontos porcentuais superior. O número de ocupados cresceu mais no Comércio, setor que emprega 22,8% da população empregada.

Em Recife, no entanto, a redução foi de 2,1 pontos porcentuais na taxa de ocupação. Na região, o setor de Serviços contrata menos que no ano passado - os empregados no setor representavam 16,4% dos ocupados em 2012 e, neste ano, compõem 15,3%.

Taxa de Descoupação

Gerando gráfico...
IBGE