Tamanho do texto

Governo reduzirá taxas administrativas e aumentará o suporte financeiro; ao mesmo tempo, pretende elevar o subsídio do governo para as importações

Agência Estado

O governo chinês apertou as regras contra a entrada de capitais em maio
Getty Images
O governo chinês apertou as regras contra a entrada de capitais em maio

O Conselho de Estado da China prometeu hoje adotar estabilidade da taxa de câmbio entre uma série de medidas para dar apoio ao comércio exterior. "O governo manterá o iuane basicamente estável em torno de um nível equilibrado e razoável", disse o Conselho de Estado, destacando que tanto importações quanto exportações estão desacelerando e o governo precisa monitorar o aumento da competitividade das empresas chinesas.

O comunicado, publicado no site oficial do governo na internet, poderá levar a uma mudança na política de apreciação que predominou durante a maior parte do primeiro semestre deste ano.

A rápida apreciação do iuane vem sendo amplamente criticada pelos exportadores chineses e pelo Ministério do Comércio como a grande razão para a desaceleração nas exportações e importações no primeiro semestre, e Pequim prometeu enfrentar essa questão.

O comércio total da China, incluindo exportações e importações, cresceu 8,6% na primeira metade do ano, mas o número foi inflacionado pelos fluxos de entrada de capital de curto prazo disfarçados de comércio exterior. O governo chinês apertou as regras contra a entrada de capitais em maio e as exportações caíram 3,1% em bases anuais em junho, enquanto as importações recuaram 0,7% no mesmo mês.

A reunião do Conselho de Estado, conduzida pelo premiê Li Keqiang, também resultou numa promessa de que o governo irá reduzir taxas administrativas e aumentar o suporte financeiro para ajudar exportadores ao mesmo tempo em que pretende elevar o subsídio do governo para encorajar as importações.

Além disso, o Conselho de Estado informou que vai isentar temporariamente algumas pequenas empresas, com vendas mensais inferiores a 20 mil iuane, de pagarem imposto sobre valor agregado e imposto sobre negócios a partir de 1º de agosto. Segundo o Conselho, a medida irá beneficiar mais de seis milhões de pequenas empresas e dezenas de milhares de empregos.

O Conselho de Estado chinês ainda decidiu que irá reformar o mecanismo de investimentos e financiamento no setor ferroviário para atrair mais recursos para construção de ferrovias, incluindo a criação de um fundo de desenvolvimento ferroviário, bem como permitir a participação do capital privado nas ferrovias entre cidades.