Tamanho do texto

Índice Ibovespa caiu 0,91%, para 48.374 pontos, com giro financeiro de R$ 5,62 bilhões

Reuters

Bovespa
Getty Images
Bovespa

O principal índice da Bovespa encerrou esta quarta-feira (24) em baixa, com investidores realizando lucros e avaliando dados do mercado de trabalho brasileiro.

O Ibovespa recuou 0,91%, para 48.374 pontos. Na mínima, chegou a cair 1,67%. O giro financeiro da sessão foi de R$ 5,62 bilhões.

O índice acumulou alta de 7,2% desde o fechamento de 12 de julho até terça-feira, levando investidores a optar por realizar lucros no curto prazo.

A valorização recente foi motivada, sobretudo, pelo desmonte de posições vendidas em meio à maior estabilidade no cenário internacional. No acumulado do ano, o índice ainda tem queda acumulada de 20,6 por cento.

"O índice testou os 49 mil pontos, então é natural alguma realização de lucros, também influenciada por indicadores domésticos do mercado de trabalho", afirmou o economista Antonio Madeira, da MCM Consultores.

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) informou pela manhã que o desemprego no Brasil subiu para 6,0% em junho, ante 5,8% em maio, para o nível mais alto desde abril de 2012. O IBGE também apontou queda no rendimento mensal pelo quarto mês seguido.

Leia mais: Dólar avança 1,27% frente ao real, impulsionado por dados dos EUA

O dados reforçaram o pessimismo do mercado quanto à economia doméstica, que tem ajudado a derrubar as ações neste ano. "Continuamos com um cenário doméstico pessimista e um sentimento de aversão ao risco", afirmou o operador Pedro Paulo da Silveira, da Tov Corretora.

Os principais índices dos Estados Unidos tiveram leve queda nesta quarta, recuando de máximas recordes, em meio a resultados corporativos mistos.

Por aqui, a incorporadora e construtora PDG Realty, o Bradesco e a Telefônica Brasil puxaram o Ibovespa para baixo. A operadora divulgou mais cedo queda no lucro do segundo trimestre na comparação anual.

Na outra ponta, a também operadora de telefonia Oi foi destaque de alta. Pela manhã, a empresa anunciou que não pagará dividendos em agosto, após o nível de alavancagem no segundo trimestre ter superado o limite previsto na política de remuneração de acionistas. A medida foi considerada por analistas como sinal de disciplina financeira.

O Pão de Açúcar também subiu. Apesar de a empresa ter tido queda no lucro trimestral, investidores ficaram animados com os números do braço de eletrodomésticos da varejista, a ViaVarejo, e pela alta das vendas consolidadas.

    Leia tudo sobre: BOVESPA

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.