Tamanho do texto

Dados do Caged mostram, no entanto, que junho registrou o segundo maior número de contratações para o mês; agricultura liderou a abertura de vagas formais

Agricultura foi a atividade que mais abriu em junho
Danielle Assalve/iG
Agricultura foi a atividade que mais abriu em junho

Dados divulgados pelo Ministério do Trabalho e Emprego nesta terça-feira (23) mostram que entre janeiro e junho passados, foram criadas 826.168 vagas com carteira assinada no Brasil. Foi o pior desempenho para um primeiro semestre desde 2009, auge da crise econômica internacional, quando foram criados 510.984 postos.

Ao todo, o ministério registrou 1.648.358 desligamentos em junho. As contratações, por sua vez, somaram 1.772.194, o segundo melhor resultado para meses de junho, conforme os dados do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged). No mesmo período, foram abertas 123.836 vagas formais de trabalho, quase 72% a mais do que o volume registrado em maio, de 72.028 empregos. 

Com isso, o saldo líquido de empregos formais gerados em junho, de 123.836 vagas, foi 24,13% menor do que um ano atrás. Pela série ajustada, que considera os registros fora do prazo, em junho do ano passado foram abertas 163.227 vagas de trabalho com carteira assinada. 

A agricultura, pelo segundo mês consecutivo, liderou as aberturas de vagas formais, com 59.019 postos. O setor de serviços teve um saldo líquido de empregos formais de 44.022, mostrando reação em relação ao mês anterior. No comércio, foram abertos 8.330 novos postos de trabalho e, na indústria de transformação, 7.922.

O Governo tem trabalhado com um cenário econômico menos favorável, o que reflete no mercado de trabalho. Na segunda-feira (22), o ministro Guido Mantega, da Fazenda, informou que a previsão oficial de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) deste ano, informação que faz parte da revisão da peça orçamentária de 2013, recuou de 3,5% para 3%.


*Com Agência Estado e Reuters