Tamanho do texto

O governo da Alemanha reiterou neste domingo (21) que não está em negociações para venda de sua fatia no Commerzbank, informou o porta voz do ministros das Finanças

Agência Estado

Logotipo do Commerzbank na sede do banco, em Frankfurt (Alemanha)
Julia Schwager/Divulgação
Logotipo do Commerzbank na sede do banco, em Frankfurt (Alemanha)

O governo da Alemanha reiterou neste domingo (21) que não está em negociações para venda de sua fatia no Commerzbank, informou o porta voz do ministros das Finanças.

"O Commerzbank está no meio de um longo processo de reestruturação e os efeitos positivos disso serão visíveis no médio prazo. Não faria muito sentido vender uma fatia maior durante esse processo", disse o porta-voz à revista WirtschaftsWoche.

Leia mais: Commerzbank tem prejuízo de quase US$1 bilhão

A publicação informou que a Alemanha poderia vender sua participação de 17% no banco nos próximos seis meses, citando uma fonte ligada ao SoFFin, que é o fundo de estabilização dos mercados financeiros, um programa criado em 2008 para restaurar a confiança no sistema financeiro.

O ministro das finanças alemão negou na última segunda-feira que o governo venderia sua participação, depois da revista Focus afirmar que o governo estava procurando por um comprador estrangeiro.

A Alemanha se tornou acionista do Commerzbank como parte da operação de resgate feita em 2009, no meio da turbulência gerada pelo colapso do Lehman Brothers, nos Estados Unidos, em 2008. Após um aumento de capital no início deste ano, a participação do governo no banco caiu de 25% para 17%.