Tamanho do texto

Durante encontro em Moscou, grupo diz acreditar que mudanças devem ser calibradas cuidadosamente e comunicadas claramente

Agência Estado

Mudanças de política monetária têm de ser calibradas cuidadosamente e comunicadas claramente, enfatizaram autoridades financeiras do G-20 durante encontro em Moscou. Isso é essencial por causa dos riscos decorrentes de movimentos cambiais voláteis e fluxos de capital, de acordo com um rascunho de comunicado ao qual o jornal The Wall Street Journal teve acesso.

Leia mais: Brasil tem a economia mais fechada do G20, aponta estudo da CIC

O documento diz ainda que está havendo progresso no desenvolvimento de estratégias fiscais de médio prazo "críveis, ambiciosas e específicas de cada país". Impulsionar a criação de empregos e o crescimento são as prioridades de curto prazo, segundo o rascunho. Indicações de que o Federal Reserve, o banco central americano, possa em breve iniciar a redução da quantidade de ativos que compra para estimular a economia dos EUA, uma política conhecida como relaxamento quantitativo, provocaram quedas das moedas, títulos e ações nos mercados emergentes.

"Mudanças futuras às definições de política monetária vão continuar a ser cuidadosamente calibradas e claramente comunicadas", diz o rascunho do comunicado. "Reiteramos que o excesso de volatilidade dos fluxos de capital e dos movimentos desordenados das taxas de câmbios têm implicações adversas para a estabilidade econômica e financeira."