Tamanho do texto

Mercado de ‘amenities’ é bom negócio para marcas como Natura e L'Occitane e para empresas especializadas nesse setor

Brasil Econômico

Mais do que um mimo encontrado pelos hóspedes em grandes redes hoteleiras, o mercado de amenities — xampús, condicionadores, hidratantes, óleos e sais de banho em miniatura — também é um bom negócio. Marcelo Vital, diretor da Equipotel, feira especializada no setor de hotelaria, faz a conta: o Brasil, segundo ele, tem 457 milhões de ofertas de diárias em hotéis por ano. Com a taxa média de ocupação de 78%, o número exato são 355 milhões de diárias em 365 dias. O custo médio de compra de kits de amenities pelos hotéis é de R$8.

“Levando em consideração que o custo de R$ 8 é para o kit básico, mas há linhas mais caras, podemos imaginar que os fabricantes de amenities no país faturam algo acima de R$ 3 bilhões ao ano. E além de ser um bom mercado, o segmento se torna uma estratégia de marketing eficaz. Pelo lado da hotelaria, agrega valor à rede porque se torna algo que o hóspede valoriza. E os hotéis, no final das contas, acabam sendo um bom cenário de testes para a indústria de cosméticos”, diz Vital.

Produtos da L'Occitane
Divulgação
Produtos da L'Occitane

Grifes como L´ Occitane e Natura, além de empresas que trabalham especialmente nesse segmento, caso da Realgem´s, apostam no crescimento da hotelaria no Brasil. Tudo por conta da previsão de mais 50 mil apartamentos em todo o país nos próximos anos e também na movimentação do turismo de lazer e de negócios por conta de grandes eventos.

Herlan Paiva, gerente de Novos Negócios da Natura, afirma que a empresa está há nove anos no mercado de amenities e o objetivo é usar o contato do produto com o hóspede como mais uma ferramenta de marketing e aproximação com o consumidor final.

A mais recente parceria com uma rede hoteleira foi com a bandeira Novotel, do Grupo Accor, por um período de dois anos. Além dessa rede, a marca está também nos hotéis da rede Royal Tulip. Paiva diz que a empresa está preparada para um aumento de sua linha de produção, em função da abertura de novos hotéis no país. Ele também quer chegar a outros mercados na América do Sul.

“Temos uma linha de produção exclusiva para esse segmento de amenities, já que são produtos em embalagens diferentes. Hoje estamos no mercado nacional mas a intenção é chegar com essa linha em países onde a Natura já tem atuação, caso de Argentina, Peru, México, Colômbia e Chile”, diz o executivo.

Mauro Carvalho, diretor comercial da Realgem’s, diz que a empresa começou a fabricar e atender o setor hoteleiro a partir de 1989. Hoje, no Brasil, estão presentes nas redes Accor, Atlantica, Club Med, Bourbon Hotéis, Rede Deville, entre outros.

“No exterior, temos o Hotel Costa Colônia Premium Suítes, na cidade de Colônia do Sacramento, no Uruguai, e o Hotel La Capilla, no balneário de Punta Del Este, também no Uruguai. No Paraguai, temos o Hotel Bourbon, além de atender clientes em Angola”, conta o executivo.

A produção anual da empresa é de 48 milhões de unidades. E com a expansão da rede hoteleira no Brasil , Carvalho afirma que a empresa já se antecipou, com a ampliação da produção.

“A Realgem's Amenities fez nos últimos três anos um investimento de aproximadamente R$ 3,5 milhões com a expansão do parque industrial e aquisição de máquinas e equipamentos para melhorar a produtividade, já visando esta expansão da rede hoteleira”, destaca.

O diretor da Realgem’s lembra que o mercado era antes disputado por pequenos players, mas há quatro anos grandes marcas se interessaram e começaram a participar gradativamente.

“A tendência, dentro na nossa visão, é que grandes players nacionais e internacionais venham a participar deste mercado. Fizemos uma joint venture com a La Bottega Dell’albergo, que é a maior empresa europeia deste segmento, e estamos trazendo marcas que desembarcam em breve no mercado brasileiro”, adianta.