Tamanho do texto

No entanto, a política de apoio ao crescimento econômico e ao emprego deve ser adotada, disse o ministro de Finanças, Lou Jiwei

Agência Estado

Meta de crescimento oficial da China para este ano é de 7,5%
Thinkstock/Getty Images
Meta de crescimento oficial da China para este ano é de 7,5%

A China não deve usar politicas de massivos estímulos fiscais neste ano, mas a política de apoio ao crescimento econômico e ao emprego deve ser adotada, disse o ministro de Finanças, Lou Jiwei, de acordo com um comunicado publicado nesta quarta-feira no site do ministério.

A China não fará nenhuma grande mudança em suas políticas macroeconômicas de curto prazo, mas se esforçará ainda mais para avançar com as reformas, disse Lou em um discurso no evento Diálogo Estratégico e Econômico, entre Estados Unidos e China, na semana passada, de acordo com o comunicado.

Veja também: China pode crescer menos por conta de fraca demanda interna

Segundo a agência de notícias Xinhua, Lou disse, na semana passada, que a China deve ser capaz de registrar um crescimento econômico de 7% neste ano e a expansão anual no segundo semestre seria um pouco mais fraca do que os 7,7% registrados no primeiro trimestre.

A meta de crescimento oficial da China para este ano é de 7,5% e a reportagem da agência criou um tumulto considerável. A Xinhua depois revisou sua versão do discurso de Lou, usando o valor de 7,5%.

Veja também: China 'esfria' e contempla mudanças em modelo econômico

O texto levou à especulação de que os líderes do país já poderiam estar esperando um crescimento econômico da China abaixo da meta oficial.

No comunicado publicado pelo ministério de Finanças na quarta-feira, não havia nenhuma menção a qualquer previsão de crescimento econômico por Lou.

O ministro acrescentou no comunicado que o déficit orçamentário chinês deste ano deve representar 2,2% do Produto Interno Bruto e Pequim irá se esforçar para melhorar o sistema de gestão da dívida governamental local. Fonte: Dow Jones Newswires.

    Notícias Recomendadas

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.