Tamanho do texto

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo avaliou nesta quarta-feira que a demanda mundial por petróleo vai ganhar ritmo no próximo ano

Agência Estado

Opep fez sua primeira estimativa para 2014, prevendo que a demanda global expandirá 1,04 milhão bpd
Thinkstock/Getty Images
Opep fez sua primeira estimativa para 2014, prevendo que a demanda global expandirá 1,04 milhão bpd

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) avaliou nesta quarta-feira (10) que a demanda mundial por petróleo vai ganhar ritmo no próximo ano e crescer cerca de 1 milhão de barris por dia (bpd), mas também alertou sobre os riscos políticos à oferta futura.

Em relatório divulgado hoje, a Opep fez sua primeira estimativa para 2014, prevendo que a demanda global expandirá 1,04 milhão bpd, um aumento em torno de 300 mil barris em relação à projeção para este ano. No mesmo documento, o grupo reduziu sua previsão para 2013 em 10 mil bpd, para 770 mil bpd.

Leia mais: Demanda por petróleo crescerá no segundo semestre, diz Opep

A Opep, cujos integrantes produzem mais de um terço dos barris consumidos no mundo, afirmou que não vai se beneficiar com o aumento da demanda. A entidade prevê que a demanda por seu petróleo vai cair em cerca de 300 mil bpd no ano que vem, para uma média de 29,6 milhões de bpd.

Por outro lado, a Opep alertou que suas projeções de oferta para produtores rivais estão sujeitas a um "alto nível de risco", principalmente em função de incertezas políticas. A organização citou problemas no Sudão do Sul e em países do Oriente Médio, como Síria e Iêmen.

A produção da própria Opep também foi afetada. Em junho, a queda foi de 310 mil bpd, com protestos violentos diminuindo a produção na Líbia em 200 mil bpd e roubos de petróleo cortando a produção nigeriana em 70 mil bpd.

"A instabilidade política continua sendo a fonte primária de incerteza no continente (africano) durante 2013 e 2014", afirmou a Opep. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.