Tamanho do texto

Quantidade de inadimplentes recuou de 57,1% em maio para 53,5% em junho, de acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo

Agência Estado

Total de famílias endividadas caiu de 2,04 milhões, em maio, para 1,92 milhão em junho
Getty Images
Total de famílias endividadas caiu de 2,04 milhões, em maio, para 1,92 milhão em junho

O número de famílias paulistanas endividadas recuou de 57,1% em maio para 53,5% em junho, de acordo com a Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP). No entanto, o nível de endividamento subiu 4,8 pontos porcentuais na comparação com junho de 2012, quando era de 48,7%. Segundo a Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor (Peic), em números absolutos, o total de famílias endividadas caiu de 2,04 milhões em maio para 1,92 milhão em junho.

Para a FecomercioSP, "a primeira queda do endividamento nos últimos três meses demonstra que o consumidor está conseguindo estabilizar seu orçamento familiar, impactado pelo efeito inflacionário de alta verificado no mesmo período, principalmente nos preços dos alimentos".

A oscilação da inflação nos próximos meses, de acordo com a FecomercioSP, deve ser determinante para o recuo ou não do endividamento. A entidade cita que, de um lado, a expectativa de uma boa safra para o restante do ano deve impactar na redução do preço de alguns produtos e colaborar para a diminuição do endividamento nos próximos meses; de outro, a desvalorização do real ante o dólar deve impactar o preço dos produtos e insumos importados e colocar pressão na inflação nos meses seguintes. "Esse cabo de guerra afeta a confiança do consumidor e seu poder de compra."

Leia mais: Inadimplência cai pelo terceiro mês consecutivo, aponta SCPC

O endividamento, de acordo com a pesquisa, é maior no grupo de famílias que ganham até dez salários mínimos (54,8%), no qual houve queda de 2,8 pontos porcentuais na passagem de maio para junho, enquanto nas famílias que ganham mais de dez salários mínimos o endividamento foi para 39,4%, queda de 5,7 pontos porcentuais.

Inadimplência

O número de famílias com contas em atraso recuou de 16,4% em maio para 14,6% em junho. Na comparação com junho de 2012, a queda foi de 5,7 pontos porcentuais, quando era de 20,3%.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.