Tamanho do texto

Embora dados comerciais fracos da China tenham pesado sobre mineradoras, papéis da Europa têm alta discreta após pregão com poucas negociações

Reuters

Ações europeias tiveram leva alta nesta quarta-feira
Thinkstock/Getty Images
Ações europeias tiveram leva alta nesta quarta-feira

As ações europeias fecharam em leve alta em um pregão com poucas negociações nesta quarta-feira (10), lideradas pela marca de luxo Burberry, embora dados comerciais fracos da China tenham pesado sobre mineradoras.

O índice FTSEurofirst 300 avançou 0,1%, a 1.190 pontos, liderado pela alta de 4,8% da Burberry, que manteve suas previsões de desempenho para o ano e anunciou uma alta de 18% na receita das vendas no varejo no primeiro trimestre.

Entretanto, a queda de 0,9% no setor de recursos básicos limitou os ganhos, depois de a China dizer que as exportações caíram inesperadamente em junho e a perspectiva para o comércio estava "ruim".

O pequeno volume, de apenas 74% da média diária de 90 dias, reflete a relutância de investidores em se envolver demais nos mercados conforme aguardam por uma nova indicação sobre os planos de política monetária do Federal Reserve, banco central norte-americano.

O chairman do Fed, Ben Bernanke, também vai falar nesta quarta-feira após a divulgação da ata do Comitê Federal de Mercado Aberto (Fomc). Analistas disseram que a recente recuperação nas ações europeias mostra que o mercado começa a aceitar cada vez mais a expectativa da redução dos estímulos dos Estados Unidos.

"Os mercados estão atentos aos sinais sobre o momento (da redução), mas não acho que eles vão encontrá-los", disse o analista da CMC Markets Michael Hewson. "Eu só acho que eles têm de se acostumar que a redução vai acontecer em determinado momento, talvez já em setembro ou talvez em dezembro."


    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.