Tamanho do texto

Impactos do câmbio e menores estimativas de resultado pesaram na decisão

Reuters

O Bank of America Merrill Lynch e o Citi reduziram nesta segunda-feira (8) seus preços-alvos para os recibos de ações (ADRs, negociados em Nova York) da Petrobras, considerando os impactos do câmbio para a empresa e menores estimativas de resultados.

Leia também: Ações da Petrobras desabam ao menor nível em oito anos

O Bank of America reduziu o preço-alvo dos recibos ligados as ações ordinárias, negociado sob o símbolo de PBR, de US$ 27,50 para US$ 24,50, enquanto o valor do recibo ligado as ações preferenciais, negociado sob o símbolo de PBRA, passou de US$ 28 para US$ 25.

"Estamos reduzindo nosso preço-alvo para refletir a maior percepção de risco Brasil, e as menores estimativas de resultados para 2013 e 2014, que incorporam estimativas de câmbio mais conservadoras. O preço-alvo para as ações locais permanecem inalterados devido ao efeito do câmbio mais fraco", disseram analistas liderados por Frank McGann, em relatório.

O preço-alvo para a ação preferencial negociada na Bovespa é de R$ 27,50, enquanto para a ordinária é de R$ 27.

Já o Citi reduziu o preço-alvo para o ADR ligado às ações ordinárias de US$ 28 para US$ 17,50.

"Os resultados do segundo trimestre da Petrobras provavelmente serão impactados por um grande encargo cambial não recorrente para marcar a exposição da empresa de US$ 101 bilhões em moeda estrangeira. Levando em conta os atuais preços atuais da ação e câmbio, estimamos que a Petrobras terá uma dívida líquida maior que seu valor de mercado até o fim do ano", disseram analistas liderados por Pedro Medeiros.

(Por Roberta Vilas Boas)

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.