Tamanho do texto

A companhia mexicana, maior engarrafadora de refrigerantes da Coca-Cola no mundo, comprou a Companhia Fluminense de Refrigerantes

Agência Estado

A KOF é uma parceria entre a Femsa e a Coca-Cola
Getty Images
A KOF é uma parceria entre a Femsa e a Coca-Cola

A mexicana Coca-Cola Femsa (KOF), maior engarrafadora de refrigerantes da Coca-Cola no mundo, comprou a Companhia Fluminense de Refrigerantes por US$ 448 milhões (ou R$ 978 milhões). A KOF, uma parceria entre a Femsa e a Coca-Cola, disse que o acordo foi aprovado pelo seu conselho de administração e só resta agora a aprovação das autoridades brasileiras.

Leia também: Quem são os 'anjos' que multiplicam o lucro das startups

A Companhia Fluminense de Refrigerantes foi fundada há 64 anos no estado do Rio de Janeiro e tem presença, além do Rio, em Minas Gerais e São Paulo. A empresa, que já produz e distribui produtos Coca-Cola, conta com uma unidade de engarrafamento e quatro centros de distribuição no País. Além disso, emprega 2 mil pessoas.

Nos doze meses encerrados em março, a empresa brasileira teve receita líquida de US$ 232 milhões e Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de US$ 40 milhões, segundo comunicado divulgado na sexta-feira. Ainda de acordo com a Femsa, a Companhia Fluminense vendeu 56,6 milhões de garrafas de bebidas no período de 12 meses encerrado no dia 31 de março deste ano.

Expansão

Em dezembro do ano passado, a mexicana já tinha comprado uma participação de 51% nas operações de engarrafamento da Coca-Cola nas Filipinas por US$ 688,5 milhões em dinheiro. Na época, o acordo como um primeiro passo na estratégia de aquisições da companhia fora da América Latina, já que, atualmente, a Coca-Cola Femsa opera no México, Brasil, Colômbia, Venezuela, Argentina e América Central.

Pelo acordo, a companhia tinha a opção de comprar os outros 49% da companhia filipina nos próximos sete anos. Em janeiro deste ano, foi anunciada a compra do Grupo Yoli, do México, por cerca de US$ 700 milhões em ações e dívidas.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.