Tamanho do texto

Inauguração ocorrerá 1 mês mais tarde que o planejado; modelo é desafio a Airbus e Boeing

Agência Estado

Jato do modelo CSeries em construção
Divulgação/Bombardier
Jato do modelo CSeries em construção

A unidade aeroespacial da canadense Bombardier informou que adiou o cronograma para o primeiro voo de sua aeronave modelo CSeries para permitir atualizações adicionais no software. A companhia espera agora que o voo inicial aconteça até o fim de julho, um mês mais tarde que a meta anterior.

A Bombardier disse que as atualizações do software permitirão "melhorar a maturidade e a funcionalidade do sistema". O adiamento do voo inaugural destaca o conservadorismo da empresa, tanto tecnicamente quanto em suas atividades de marketing. Todos os sinais apontavam para a estreia do jato até o fim deste mês.

O primeiro voo do CSeries será um marco importante para a Bombardier, que tenta desafiar o duopólio da norte-americana Boeing e da Airbus, uma unidade da European Aeronautic Defence & Space (EADS), no mercado de jatos de apenas um corredor. A companhia canadense gastou US$ 3,4 bilhões para desenvolver a aeronave.

O lançamento do modelo CSeries, que recebeu as primeiras encomendas em 2008, provocou respostas agressivas de outras três grandes fabricantes de aviões mundiais. A Bombardier quer entrar em um nicho no qual a Embraer impõe pressão com jatos maiores e a Boeing e a Airbus tentam competir com aviões menores.

Na semana passada a Embraer lançou sua família de aviões menores, chamados de E2, que usam o mesmo motor da Pratt & Whitney que a Bombardier escolheu para o CSeries. A Pratt é uma unidade da United Technologies.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.