Tamanho do texto

No mês passado, o indicador ficou em 117 pontos, ante 120,6 pontos registrados em abril, em uma escala que varia de 0 (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total)

Agência Estado

Confiança do empresário paulistano registrou queda de 3% em maio
SXC
Confiança do empresário paulistano registrou queda de 3% em maio

O Índice de Confiança do Empresário do Comércio no município de São Paulo (ICEC), medido Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de São Paulo (FecomercioSP), registrou queda de 3% em maio na comparação com abril. No mês passado, o indicador ficou em 117 pontos, ante 120,6 pontos registrados em abril, em uma escala que varia de 0 (pessimismo total) a 200 pontos (otimismo total). O índice apresenta diminuição desde março, quando estava em 121,8 pontos.

Segundo a FecomercioSP, a piora da confiança é um reflexo da atual situação da economia, com a queda no ritmo de crescimento das vendas do varejo e a persistência das altas nos preços. Os três subíndices que compõem o indicador - Índice das Condições Atuais do Empresário do Comércio (ICAEC), o Índice de Expectativa do Empresário do Comércio (IEEC) e o Índice de Investimento do Empresário do Comércio (IIEC) - apresentaram percepções menos otimistas.

O ICAEC caiu 0,7% ao passar de 93,5 pontos em abril para 92,8 em maio. O IEEC teve diminuição de 4,4%, registrando 156,4 pontos em abril contra 149,6 em maio. Da mesma forma, o IIEC apresentou declínio de 3,1% ao passar de 112 pontos em abril para 108,5 no mês passado.

Veja também: Melhora o otimismo dos empresários da construção civil na economia, aponta FGV

Dentro do IIEC, o item que mede o ímpeto de novos investimentos (Nível de Investimentos das Empresas - NIE) registrou estabilidade, permanecendo em 109 pontos. Já o Indicador de Contratação de Funcionários (IC) teve queda de 6,6% (para 126,3 pontos) no mês. No quesito Situação Atual dos Estoques (SAE) houve queda de 1,4% (para 90,2 pontos). Para 36,4% dos comerciantes a situação do estoque em maio foi considerada inadequada, aumento em relação aos 35,3% constatados em abril.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.