Tamanho do texto

Entre os dias 17 e 23 deste mês, as exportações somaram US$ 6,050 bilhões, alta de 20%

Reuters

A balança comercial brasileira teve superávit de US$ 1,294 bilhão, o melhor desempenho semanal em mais de um ano, graças ao aumento das vendas de produtos manufaturados, que compensou queda nas exportações de commodities, informou nesta segunda-feira (24) o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (Mdic).

-Veja também: déficit persistente das contas externas ameaça reservas do País

Entre os dias 17 e 23 deste mês, as exportações somaram US$ 6,050 bilhões, alta de 20% em relação ao acumulado até a segunda semana do mês, considerando a média diária das operações.

As vendas de produtos manufaturados saltaram 92,8%, impulsionadas pelo embarque de aviões, etanol e plataforma para extração de petróleo. Já as vendas de commodities como soja e petróleo recuaram 19,3%.

As vendas de produtos manufaturados saltaram 92,8%, impulsionadas pelo embarque de aviões e etanol
Getty Images
As vendas de produtos manufaturados saltaram 92,8%, impulsionadas pelo embarque de aviões e etanol

As importações atingiram US$ 4,756 bilhões, queda de 2,2% na mesma comparação pelos menores gastos com equipamentos mecânicos, aparelhos eletroeletrônicos e automóveis.

O saldo da terceira semana de junho é o maior desde a segunda semana de maio de 2012, quando o superávit semanal foi de US$ 1,631 bilhão.

O resultado elevou o saldo positivo acumulado do mês para US$ 1,649 bilhão, com exportações somando US$ 16,127 bilhões e as importações, US$ 14,478 bilhões.

No acumulado do ano até a segunda semana deste mês, o saldo comercial está negativo em US$ 3,745 bilhões no ano, com exportações de US$ 109,416 bilhões e importações de US$ 113,161 bilhões.

O déficit na balança comercial é o principal fator de deterioração no saldo das transações correntes brasileira.

Devido a esse desempenho ruim, na última sexta-feira (21) o Banco Central elevou previsão do déficit em transações correntes para este ano para US$ 75 bilhões ante US$ 67 bilhões. Em maio, a conta apresentou rombo de US$ 6,420 bilhões.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.