Tamanho do texto

Decisão de jurista do Acre é esperada para as próximas horas; empresa teve sua operação suspensa na última terça-feira (18)

Sandro Rocha, ator e divulgador da Telexfree, em cena do filme
Divulgação
Sandro Rocha, ator e divulgador da Telexfree, em cena do filme "Tropa de Elite"

O desembargador Samoel Evangelista, presidente da 2ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Acre, recebeu na manhã desta sexta-feira (21) o recurso do advogado da Telexfree , Horst Fouchs, que tenta derrubar a decisão da juíza da 2ª Vara Cível de Rio Branco, Thaís Queiroz Borges de Oliveira Abou Khalil.

A decisão da magistrada, publicada na terça-feira (18) e válida para todo o Brasil e o exterior, impede a Telexfree de fazer pagamentos aos seus divulgadores, bem como cadastrar novos participantes.

A previsão é que o desembargador julgue o recurso do advogado da Telexfree, classificado como urgente, ainda nas próximas horas. Em casos cíveis como este, os relatores dificilmente vão contra a determinação do juiz, já que se trata de uma análise objetiva de provas apresentadas na ação.

A Justiça do Acre aceitou a denúncia do Ministério Público do Estado de que o negócio, apresentado como um sistema de telefone por internet (VoIP, na sigla em inglês), trata-se de uma pirâmide financeira disfarçada.

Os bens de Carlos Costa e Carlos Wanzeler, sócios administradores da Ympactus Comercial LTDA – empresa que opera a Telexfree – foram bloqueados. O agravo de instrumento da Telexfree foi protocolado na quinta-feira (20) e distribuído pela Secretaria Judiciária do TJ. Procurado pelo iG , Costa disse que não estava disponível para falar com a reportagem imediatamente. Fuchs não atendeu as ligações da reportagem.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.