Tamanho do texto

Em Londres, o índice FTSE avançou 0,69%, encerrando a sessão a 6.374,21 pontos

Agência Estado

As principais bolsas da Europa fecharam com altas modestas nesta terça-feira (18), ajudadas por dados positivos nos Estados Unidos e o fortalecimento do sentimento econômico na Alemanha, a maior economia da Europa.

Os investidores evitaram assumir grandes posições antes da decisão do Federal Reserve, na quarta-feira (19). Mesmo assim, o índice pan-europeu Stoxx 600 teve queda de 0,08%, para 293,02 pontos.

-Veja também: Europa fecha em alta sob menor receio de redução de estímulo nos EUA

Na Alemanha, o índice de expectativas econômicas do instituto ZEW subiu para 38,5 em junho, de 36,4 em maio, acima da previsão dos economistas consultados pela Dow Jones, de 38,1. O resultado também ficou acima da média histórica de 23,6.

O dado mostra que as pessoas ouvidas na pesquisa estão mais otimistas com relação à perspectiva econômica da Alemanha e esperam que a recuperação ganhe força no segundo semestre deste ano. 

Já nos EUA, o índice de preços ao consumidor (CPI, na sigla em inglês) subiu 0,1% em termos sazonalmente ajustados em maio ante abril, segundo o Departamento do Trabalho. Economistas consultados pela Dow Jones previam alta de 0,2%.

Em Milão, o índice FTSE-Mib ganhou 0,02% e fechou a 16.197,94 pontos
Bolsa Europeia
Em Milão, o índice FTSE-Mib ganhou 0,02% e fechou a 16.197,94 pontos

Enquanto isso, as construções iniciadas de moradias subiram 6,8% no mês passado, para uma taxa anual ajustada sazonalmente de 914 mil. Apesar da elevação vista em maio, economistas consultados pela Dow Jones previam um acréscimo consideravelmente maior, de 11,4%.

Nesse cenário, o índice DAX, da Bolsa de Frankfurt, ganhou 0,17%, fechando a 8.229,51 pontos. Entre as maiores altas está a Infineon Technologies, que subiu 4,13%, após relatos de uma conversa da companhia com o JPMorgan. Os bancos também tiveram um desempenho positivo (Commerzbank +2,07% e Deutsche Bank +0,65%).

Em Londres, o índice FTSE avançou 0,69%, encerrando a sessão a 6.374,21 pontos. A rede hoteleira e de restaurantes Whitbread teve valorização de 3,62%, após atualizar dados do primeiro trimestre. O HSBC subiu 2,13%, após o Citigroup elevar a recomendação para o papel para "comprar". Já as mineradoras fecharam no negativo (Eurasian Natural Resources -4,45% e Fresnillo -2,19%).

Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 perdeu 0,08% e fechou a 3.860,55 pontos. Os papéis da Lagardère ganharam 2,07%, depois que o Barclays elevou a recomendação para overweight (acima da média de mercado).

A EADS, controladora da Airbus, subiu 0,35%, depois de anunciar novas encomendas durante um feira do setor aéreo em Paris. Já as montadoras tiveram perdas, após a notícia de que os registros de carros novos na União Europeia registram no mês passado o menor nível em 20 anos para o mês de maio. A Peugeot perdeu 0,62%.

Em Milão, o índice FTSE-Mib ganhou 0,02% e fechou a 16.197,94 pontos. O índice IBEX-35, da Bolsa de Madri, teve valorização de 0,54%, para 8.180,20 pontos. O índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, subiu 0,67%, para 5.883,12 pontos.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.