Tamanho do texto

De acordo com a pesquisa, a principal causa da inadimplência foi a falta de fundos, com 73,94% dos valores dos cheques não liquidados

Agência Estado

Principal causa da inadimplência em maio foi a falta de fundos, com 73,94% dos valores dos cheques não liquidados
Getty Images
Principal causa da inadimplência em maio foi a falta de fundos, com 73,94% dos valores dos cheques não liquidados

A inadimplência em operações feitas com cheques ficou em 2,84% em maio. O número foi 16,47% menor do que o registrado em abril, quando alcançou 3,40% do total movimentado, segundo dados da Pesquisa Nacional sobre Liquidação de Cheques feita mensalmente pela TeleCheque e divulgada nesta segunda-feira, 17. Na comparação com maio do ano passado (3,41%), a queda foi de 16,72%.

Veja também: Inadimplência das empresas cresce na contramão do consumidor

De acordo com a pesquisa, a principal causa da inadimplência foi a falta de fundos, com 73,94% dos valores dos cheques não liquidados. Os demais motivos foram cheques sustados (9,86%), roubados ou furtados (4,93%), fraudados (1,41%) e outras razões (9,86%).

No mês, o valor médio nacional dos cheques devolvidos foi de R$ 386,25, ligeiramente mais alto (1,43%) do que em abril (R$ 380,81). Em relação a maio de 2012 (R$ 331,62), a alta foi de 16,47%.

Veja também: 10 dicas para renegociar suas dívidas

O Nordeste permanece com o maior índice de inadimplência entre as regiões brasileiras: 4,01%. A Região Norte ficou em segundo lugar, com 3,62%; o Sudeste em terceiro, com 2,62%; o Centro-Oeste em quarto lugar, com 2,47%; e a Região Sul em último, com apenas 2,28% de inadimplência.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.