Tamanho do texto

Primeiro-ministro do Reino Unido disse que os dez territórios ultramarinos ou dependentes da Coroa vão assinar convenção para ajudar a combater a fraude e a evasão fiscal

Agência Estado

Ilhas Cayman: US$ 1,7 trilhão de dólares em 250 bancos
Getty Images
Ilhas Cayman: US$ 1,7 trilhão de dólares em 250 bancos

O primeiro-ministro do Reino Unido, David Cameron, disse neste sábado, 15, que os dez territórios ultramarinos ou dependentes da Coroa, que incluem paraísos fiscais como as Ilhas Cayman, Bermuda e Jersey, vão assinar uma convenção internacional para ajudar a combater a fraude e a evasão fiscal e pediu que outros paraísos fiscais façam o mesmo.

Enfrentar a fraude e a evasão fiscal é uma das prioridades, junto com fazer avançar o livre comércio e aumentar a transparência corporativa, durante a presidência britânica do G-8 este ano. Cameron vai sediar a cúpula do G-8 na segunda e na terça-feira, na Irlanda do Norte, com líderes dos EUA, Japão, Alemanha, Rússia, França, Itália e União Europeia (UE).

Os líderes dos territórios ultramarinos e dos dependentes da Coroa concordaram em assinar uma convenção multilateral – uma iniciativa liderada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) que conta com a ajuda de mais de 50 nações para o combater a evasão fiscal – após encontros com Cameron neste sábado.

Os territórios ultramarinos e dependentes da Coroa - Bermuda, Ilhas Virgens Britânicas, Ilhas Cayman, Gibraltar, Anguilla, Montserrat, Turks e Ilhas Caicos, Jersey, Guernsey e Isle of Man - também concordaram em executar planos de ação para providenciar informações sobre de quem é uma determinada empresa e quem é o beneficiário, afirmou Cameron. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.