Tamanho do texto

Contrato do petróleo para julho subiu 0,8%, ou US$ 0,81, para US$ 96,69 o barril

Agência Estado

O barril de petróleo do tipo Brent para julho, que venceu neste pregão, subiu US$ 0,76 (0,73%)
Marcos de Paula/AE
O barril de petróleo do tipo Brent para julho, que venceu neste pregão, subiu US$ 0,76 (0,73%)

Os contratos futuros do petróleo fecharam no maior nível em três semanas em Nova York nesta quinta-feira (13), ajudados pelos dados melhores que o esperado das vendas no varejo e dos pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos. O contrato do petróleo Brent, negociado em Londres, também encerrou em território positivo.

-Veja também: demanda por petróleo crescerá no segundo semestre, diz Opep

O contrato do petróleo para julho subiu 0,8%, ou US$ 0,81, para US$ 96,69 o barril, o maior valor de fechamento desde 20 de maio, na New York Mercantile Exchange (Nymex).

Na plataforma eletrônica ICE, o barril de petróleo do tipo Brent para julho, que venceu neste pregão, subiu US$ 0,76 (0,73%), finalizando a US$ 104,25 o barril. O contrato do Brent para agosto, o mais negociado, avançou US$ 1,39 (1,34%), encerrando a US$ 104,95 o barril.

O número de trabalhadores americanos que entrou pela primeira vez com pedido de auxílio-desemprego caiu 12 mil, para 334 mil, menos que a previsão de 350 mil solicitações.

As vendas no varejo dos EUA subiram mais que o esperado em maio, crescendo 0,6% ante abril, para o valor sazonalmente ajustado de US$ 421,15 bilhões. 

Notícias divulgadas pela manhã sobre um fechamento de oleoduto no Canadá também podem ter fornecido algum suporte aos preços, segundo analistas. O oleoduto na British Columbia foi fechado após vazar uma quantidade não determinada de petróleo. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.