Tamanho do texto

Durante a reunião bilateral entre os dois países, foram analisadas as possibilidade de cooperação em comércio, investimentos, energia e setor agropecuário

Agência Brasil

Os ministros de Relações Exteriores do Brasil, Antonio Patriota; e de Negócios Estrangeiros da Rússia, Sergei Lavrov, se reuniram hoje (11), no Hotel Windsor Atlântica,na capital fluminense, para decidir questões econômicas bilaterais e de cooperação em diversas áreas.

Segundo Patriota, o relacionamento entre os dois países tem se estreitado e os contatos frequentes entre as autoridades " fortalecem a parceria estratégica entre o Brasil e a Rússia em diferentes aspectos".

Ele disse que durante a reunião bilateral foram analisadas as possibilidade de cooperação em comércio, investimentos, energia e setor agropecuário. "A Rússia é hoje um dos principais mercados para carnes, bovina e suína, para a soja e muitos produtos agrícolas brasileiros. Estamos trabalhando também para diversificar esta pauta comercial", contou.

Além disso, de acordo com o ministro, está sendo desenvolvido um programa bilateral de ciência e tecnologia nas áreas de pesquisa nuclear, nanotecologia, pesquisa aeroespacial e capacitação em recursos humanos.

Os dois chanceleres discutiram ainda a possibilidade da instalação de um centro de cultura russa, no Brasil, e de um centro brasileiro, na Rússia. Eles também acertaram uma programação de um dia da cultura brasileira naquele país.

Sobre a reunião do G20, em setembro, em São Petersburgo, na Rússia, que deverá ter a participação da presidenta Dilma Rousseff, o ministro Patriota informou que o governo brasileiro apoia a agenda que tem sido apresentada pelo governo russo.

"Conversamos hoje, inclusive, em aspectos que coordenamos bilateralmente também no âmbito do Brics [bloco econômico formado pelo Brasil, pela Rússia, Índia, China e África do Sul], dentro do G20 [grupo formado pelos países desenvolvidos e em desenvolvimento] com a plena implementação da reforma de cotas do FMI [Fundo Monetário Internacional], disse. “A ênfase que a Presidência russa dará à questão do desenvolvimento é muito bem recebida pelo Brasil. Falamos ainda sobre a próxima cúpula do Brics, que deverá ocorrer nos primeiros meses de 2014 em Fortaleza. Estará em pauta o estabelecimento de um banco dos Brics", completou.

O ministro russo informou que os dois governos trabalham para manter a meta de intercâmbio comercial em torno de US$ 10 bilhões por ano " O Brasil é o nosso maior parceiro na América Latina. Os presidentes colocaram como objetivo aumentar o intercâmbio comercial ao nível de US$ 10 bilhões de dólares por ano. Creio que isso é possível de atingir, considerando os planos que estão sendo acordados", disse.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.