Tamanho do texto

Secretário de Turismo do Ceará, Bismarck Maia, espera que número de turistas estrangeiros alcance a proporção de 15% a 20% em relação aos brasileiros

Pelo menos 123,8 mil torcedores são esperados para os jogos da Copa das Confederações que ocorrem nos dias 19, 23 e 27 deste mês na Arena Castelão, em Fortaleza (CE). De acordo com a Federação Internacional de Futebol (Fifa), a maior parte do público será formado por torcedores nacionais. Na média das cidades-sede, até o dia 15 de maio, 97% dos ingressos haviam sido comprados por brasileiros.

No primeiro jogo do torneio na capital cearense, o Brasil enfrenta o México no dia 19, às 16h. Mais de 51 mil ingressos para esse jogo, que é o segundo da seleção brasileira pelo Grupo A, foram vendidos. Pelo Grupo B, Fortaleza receberá a partida Nigéria e Espanha, no dia 23, também às 16h. Pouco mais de 39 mil pessoas já garantiram a entrada no Castelão nesse dia. Para o jogo da semifinal, ainda com seleções indefinidas, 33,7 mil ingressos foram vendidos. A capacidade do estádio é de 63.093 mil lugares.

Castelão foi reinaugurado em janeiro e custou R$ 623 milhões
Divulgação/Portal da Copa
Castelão foi reinaugurado em janeiro e custou R$ 623 milhões

Mesmo com uma baixa venda de ingressos para torcedores de outros países, o secretário de Turismo do Ceará, Bismarck Maia, espera que a proporção de turistas estrangeiros alcance a proporção de 15% a 20% em relação aos brasileiros que chegam ao estado. "Dos turistas que o Ceará recebe atualmente, de 8% a 10% correspondem a estrangeiros. Vamos sair da normalidade de qualquer mês de junho, pois vamos sediar um evento internacional. Com isso, certamente esse número vai crescer", apontou.

A mesma expectativa não é compartilhada pelo vice-presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis do Ceará (ABIH-CE), Régis Medeiros. "Não devemos ter nada muito diferente do que temos normalmente. No ano passado, nesse período de 15 a 30 de junho, nós tivemos 65% de ocupação. Nossa expectativa neste ano é chegar na casa dos 70%. Vamos ter um aumento, lógico, no dia 19, por conta do jogo do Brasil contra o México, quando devemos entrar na casa dos 90%", avaliou. Em relação a turistas estrangeiros, ele não projeta mudanças.

Com o pequeno número de turistas de outras nacionalidades no período da Copa das Confederações, a cadeia do turismo da cidade ganha mais um tempo para capacitar seus profissionais para falar outro idioma. "Nosso turismo ainda é muito brasileiro. O grande trabalho dos últimos anos é criar uma infraestrutura para que sejamos considerados um destino turístico internacional, coisa que ainda não o somos", disse Bismarck Maia.

O secretário aposta na Copa do Mundo para fortalecer o estado como destino turístico internacional. "A cidade está preparada para os jogos. Já somos uma cidade turística e que recebe muitos eventos. Isso [as Copas das Confederações e do Mundo] vai ser equivalente a uma alta estação, tanto quanto temos vivido em outros momentos, com a diferença de que teremos maior número de turistas internacionais que poderão dar visibilidade ao nosso destino", avaliou.

No maior centro de artesanato de Fortaleza, o Mercado Central, por exemplo, apenas 2% dos funcionários estão capacitados a atender turistas em outro idioma, segundo estimativa do presidente da Associação dos Lojistas do Mercado Central (Almec), Juarez Gonçalves Elias. "Existe possibilidade de a gente contratar alguém bilíngue para resolver algum problema no mercado, mas como aqui é muito grande, vai ser só para casos específicos", declarou.

Meio de transporte que também não conta com comunicação ou sinalização em outro idioma é o metrô de Fortaleza. Ainda sem funcionar integralmente desde a inauguração no meio do ano passado, a Linha Sul - que liga Pacatuba, na região metropolitana, ao centro da capital - irá circular das 13h às 20h para atender à demanda dos torcedores. Normalmente, a linha é operada das 8h às 12h. De acordo com a assessoria de imprensa do metrô, embora a linha não passe perto dos locais dos jogos, ônibus especial levará o público da Estação Parangaba ao estádio Castelão.

Na avaliação do secretário, a tarefa de capacitar os profissionais para falar outro idioma poderia ser assumida com maior celeridade pelos próprios empresários do setor. "Não entendo capacitação para um grande volume [de pessoas], com a rapidez necessária, com a eficiência operacional necessária , se não for organizado pelo setor privado. E eles estão procurando fazer isso, especialmente para a Copa do Mundo", disse. Ele destacou que, na Copa das Confederações, os principais pontos turísticos da cidade receberão o reforço de voluntários bilíngues para apoiar turistas.

Também com o objetivo de facilitar o deslocamento de estrangeiros por ruas e avenidas de Fortaleza, o órgão estadual de trânsito está fixando 500 placas bilíngues (português e inglês). A previsão é que o trabalho seja concluído no próximo dia 10. O projeto foi feito com a identidade visual da Copa das Confederações e da Copa do Mundo. Após os jogos, portanto, elas serão substituídas por outras.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.