Tamanho do texto

O Iaemp tenta antecipar o comportamento do mercado de trabalho nos próximos meses. Para a federação, o resultado de maio representa uma acomodação e atenua a queda de abril

Para a FGV, o resultado do Iaemp representa uma acomodação e atenua a queda de abril
Reprodução
Para a FGV, o resultado do Iaemp representa uma acomodação e atenua a queda de abril

O Indicador Antecedente de Emprego (Iaemp), da Fundação Getulio Vargas (FGV), avançou 1,8% em maio deste ano, depois de cair 3% em abril. O indicador tenta antecipar o comportamento do mercado de trabalho nos próximos meses, com base em entrevistas feitas com empresários dos setores de indústria e serviços, além de consumidores.

Veja também: Com lei antiquada, Brasil enfrenta desafio de integrar mão de obra estrangeira

Segundo a FGV, o resultado de maio representa uma acomodação do indicador e atenua a queda expressiva de abril.

De acordo com a pesquisa, os componentes que mais contribuíram para a alta do Iaemp foram o ânimo do empresário de serviços para contratar mão de obra (que cresceu 5%) e a satisfação dos empresários da indústria com a situação atual dos negócios (com alta de 4,9%).

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.