Tamanho do texto

Para grupo francês, presença de empresário à frente da BRF e do Pão de Açúcar é irregular

Casino tenta afastar Diniz do conselho do GPA
Nelson Antoine/Futura Press
Casino tenta afastar Diniz do conselho do GPA

O Casino, controlador do Grupo Pão de Açúcar (GPA), submeteu nesta quarta-feira (1º) um pedido arbitral contra o empresário Abilio Diniz à divisão brasileira da Câmara de Comércio Internacional (CCI) – recurso disponsível no acordo de acionistas do grupo..

O sócio francês pretende, entre outras coisas, obter uma declaração de que a eleição do empresário brasileiro para a presidência do conselho de administração da gigante de alimentos BRF, sem que ele renuncie à presidência do conselho do Pão de Açúcar, conflita com os interesses do GPA.  

A BRF, argumenta o Casino, é uma das maiores fornecedoras do GPA, e por isso o acúmulo das funções poderia ser prejudicial ao Pão de Açúcar. Diniz nega a existência de conflito.

Em nota, o Casino alega que a presença de Diniz à frente dos dois conselhos viola a lei brasileira e o acordo de acionistas do GPA. O grupo francês também requer a confirmação de que pode tomar todas as medidas necessárias para proteger os interesses do Pão de Açúcar em conformidade com o acordo de acionistas.

Representantes do Casino já pediram, em pelo menos três ocasiões, que Diniz renuncie ao cargo no Pão de Açúcar, sem sucesso. Como o acordo de acionistas prevê que desentendimentos entre os sócios sejam resolvidos via arbitragem, o grupo francês agora decidiu recorrer à CCI para tentar colocar mais pressão sobre o empresário.

"O Casino, como acionista controlador e maior acionista de GPA, pretende tomar todas as medidas apropriadas para proteger o Grupo Pão de Açúcar, seus administradores, acionistas e demais stakeholders , da situação de conflito de interesses criada por Abilio Diniz", destaca nota enviada à imprensa na tarde desta quarta-feira (1º).

O pedido do grupo francês vai se juntar a um processo de arbitragem que já havia sido aberto no final do ano passado, por iniciativa de Diniz, segundo a assessoria do Casino.

A assessoria do empresário reiterou não haver conflito de interesses e informou em nota que "Abilio continuará a desempenhar suas funções na GPA como prevê o acordo de acionistas”.

Procurada, a BRF informou que não iria se pronunciar.

*Com informações da Agência Estado