Tamanho do texto

Sistema, criado nos EUA, ajuda empresas a levantar recursos para projetos criativos

Reuters

Sites de financiamento coletivo de projetos ajudaram companhias e indivíduos a levantarem US$ 2,7 bilhões de dólares em 2012, um aumento de 81% em relação ao ano anterior, segundo dados divulgados nesta segunda-feira (8).

-Veja também: site de "financiamento coletivo" dos EUA levantou R$ 650 milhões em 2012

Conforme bancos passaram a conter empréstimos por causa de regras de capital mais rígidas e maior incidência de fiscalização de autoridades, o sistema de "crowdfunding", originado nos Estados Unidos como maneira para se levantar recursos para levar adiante projetos criativos, se expandiu rapidamente como uma fonte de financiamento.

O relógio Pebble, recordista de doações no ano, arrecadou mais de US$ 10 milhões na plataforma virtual
Divulgação
O relógio Pebble, recordista de doações no ano, arrecadou mais de US$ 10 milhões na plataforma virtual

Muitos sites oferecem atualmente a pequenos investidores oportunidade de ganharem juros com empréstimo de dinheiro a indivíduos ou pequenas empresas, enquanto outros permitem que as pessoas invistam quantias pequenas como US$ 15  companhias, em troca por participação acionária.

O interesse sobre crowdfunding cresceu depois que o presidente norte-americano, Barack Obama, assinou legislação conhecida como "JOBS" no ano passado para legalizar o sistema, que está sendo regulamentado por legisladores.

O mercado está crescendo, mas ainda é bem pequeno em comparação com o financiamento bancário para pequenas e médias empresas, que no Reino Unido apenas somou £ 28,7 bilhões (US$ 43,4 bilhõess) nos primeiros nove meses de 2012, segundo o Banco da Inglaterra.

Os volumes de crowdfunding no mundo alcançaram a cifra de US$ 2,66 bilhões em 2012, alta ante o US$ 1,47 bilhão levantado no ano anterior, segundo pesquisa da Massolution, uma empresa de consultoria especializada no setor. Em 2011, o crescimento foi de 64%.

A Massolution previu que US$ 5,1 bilhões de dólares serão levantados por plataformas de crowdfunding este ano, se voltando mais ao financiamento de novos negócios e pequenas empresas em vez de projetos sociais, categoria mais popular atualmente.

A América do Norte representou a maior parte do volume, com US$ 1,6 bilhão obtidos no último ano, crescimento de 105% sobre 2011.

Fabricante de relógios
Um dos negócios de crowdfunding mais divulgados no ano passado envolveu a fabricante de relógios inteligentes Pebble Technology, que levantou mais de US$ 10 milhões por meio do site Kickstarter, 100 vezes a meta.

Fundos levantados por sites de empréstimos aumentaram 111%, para US$ 1,2 bilhão, enquanto projetos de crowdfunding envolvendo venda de ações ao público foram responsáveis pela menor porção do total, recebendo US$ 116 milhões.

Como o sistema de crowdfunding é relativamente novo, ainda não há dados sobre índices de fracasso ou de retornos médios para investimentos acionários.

"Pode ser difícil conseguir retorno com investimento no estágio inicial de um negócio, mas o crowdfunding adiciona flexibilidade a isso ao abrir as empresas para uma base mais ampla de investidores que não estão necessariamente investindo para obter retorno", disse Liam Collins, conselheiro da Nesta, uma organização de caridade que promove a inovação.

A Autoridade de Regulamentação da Indústria Financeira dos EUA e o órgão fiscalizador do mercado de capitais norte-americano (SEC) estão trabalhando em regras para o crowdfunding e têm pedido aos sites para se registrarem voluntariamente como um primeiro passo.

(Por Kylie MacLellan)