Tamanho do texto

Presidente dos Estados Unidos quer evitar aumento de impostos e corte de gastos

Em pronunciamento feito na tarde desta segunda-feira (31) na Casa Branca, o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, afirmou que o acordo que impediria aumento de impostos e cortes de gastos no país está próximo, mas não fechado.

Leia mais:
Abismo fiscal assusta consumidores dos EUA no fim do ano

Desde às 14h desta segunda-feira (horário de Brasília), parlamentares republicanos e democratas tentam firmar um acordo para evitar um pacote de medidas que começaria a valer a partir de amanhã (1º). Esse pacote acarretaria em aumento de impostos para a maioria dos americanos e também cortaria despesas públicas em vários setores, desde defesa nacional até saúde e educação. As medidas seriam necessárias para equilibrar o déficit fiscal do país.

Obama afirmou que preferia resolver os problemas fiscais dos Estados Unidos de uma forma mais ampla, por meio de uma reforma geral das leis tributárias do país. Mas reconheceu que isso não será possível em um futuro próximo. "Teremos que resolver este problema em etapas", disse o presidente.

Segundo matéria publicada no Wall Street Journal , o acordo costurado nesta segunda-feira aumentaria impostos sobre casais com renda anual superior a US$ 450 mil e também elevaria impostos sobre grandes fortunas. O acordo também estenderia benefícios a desempregados por mais um ano. 

O jornal afirma que, por enquanto, os parlamentares não chegaram a um acordo sobre o corte de gastos de US$ 110 bilhões que entrará em vigor no dia 2 de janeiro caso não haja um acordo no Congresso. 

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.