Tamanho do texto

Decisão é tomada por não pagamento de comissão ao designer francês Phillipe Starck

O superiate construído para o cofundador da Apple, Steve Jobs, foi apreendido em Amsterdã, na Holanda, por causa de uma disputa envolvendo falta de pagamento ao designer Phillipe Starck.

Steve Jobs, que morreu no ano passado, nunca chegou a usar o iate – chamado Vênus, em homenagem à deusa da beleza e do amor na mitologia romana -, mas tinha encomendado ao designer francês modificações na embarcação, que custou mais de 100 milhões de euros (R$ 273 milhões) para ser construída.

Iate Vênus atracado no estaleiro da Royal De Vries em Aalsmeer, cidade próxima a Amsterdã, na Holanda
AP/Peter Dejong
Iate Vênus atracado no estaleiro da Royal De Vries em Aalsmeer, cidade próxima a Amsterdã, na Holanda


O advogado que representa a Ubik, empresa de Starck, disse à agência de notícias Reuters que seu cliente recebeu apenas 6 milhões de euros (R$ 16 milhões) de um total de 9 milhões de euros (R$ 24 milhões) por seu trabalho na embarcação minimalista, e busca agora recuperar o resto que lhe é devido.

O iate foi apreendido na noite de quarta-feira, disse o advogado, e permanecerá no porto de Amsterdã até que os advogados que representam o patrimônio de Jobs paguem a conta.

"O projeto está em andamento desde 2007 e houve muitas conversas detalhadas entre Jobs e Starck", disse o advogado que representa Ubik Roeelant Klaassen.

"Eles confiavam um no outro, então não houve um contrato muito detalhado", disse ele.

O advogado que representa o patrimônio de Jobs não pode ser imediatamente contatado.

* Com Reuters

Veja o vídeo da apresentação do superiate



    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.