Tamanho do texto

Segmento de saúde complementar terá movimentado R$ 101,4 bi, o de seguros pessoais, R$ 89,3 bi, o de seguros gerais, R$ 49,4 bi e o de capitalização, R$ 16,5 bi

Agência Estado

A Confederação Nacional das Empresas de Seguros prevê fechar 2012 com arrecadação de R$ 255 bilhões, número que representará, se confirmado, crescimento de 19,5% em relação ao ano de 2011. Desse total, o segmento de saúde complementar terá movimentado R$ 101,4 bilhões, o de seguros pessoais, R$ 89,3 bilhões, o de seguros gerais, R$ 49,4 bilhões e o de capitalização, R$ 16,5 bilhões.

"O desempenho superou nossas expectativas", disse o superintendente da área de regulação da CNseg, Alexandre Leal. Em sua avaliação, o setor vem se beneficiando do aumento da renda da classe C, que consumiu mais seguros saúde. Segundo cálculos da CNseg, o setor vai responder neste ano por 5,8% do Produto Interno Bruto (PIB). A CNseg calcula que a arrecadação chegue perto de R$ 400 bilhões nos próximos três anos, o que representaria, segundo a Confederação, expansão de 55,8% frente ao volume esperado para 2012.

Mais uma vez o aumento da renda da classe C será o principal combustível para alavancar o incremento de vendas no setor. "A primeira coisa que um trabalhador faz é ter um seguro saúde quando sobra dinheiro no final do mês", disse. O superintendente da área de regulação da CNseg, Alexandre Leal, concorda com o cenário traçado pelo executivo e lembra que a taxa de desemprego está em um patamar baixo, o que ajuda a preservar a renda do trabalhador brasileiro.

    Faça seus comentários sobre esta matéria mais abaixo.